Nubank reduz prejuízo para US$ 66,2 milhões no 4º trimestre

Banco gastou US$ 11,2 milhões com o NuSócios, programa que distribuiu a seus clientes BDRs gratuitos, um para cada cliente

Em dezembro, o Nubank chegou à marca de 53,9 milhões de clientes em todas as suas operações
Em dezembro, o Nubank chegou à marca de 53,9 milhões de clientes em todas as suas operações Logotipo do Nubank, na sede da fintech, em São Paulo19/06/2018REUTERS/Paulo Whitaker

Matheus PiovesanaAltamiro Silva Juniordo Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

O Nubank fechou o quarto trimestre de 2021 com prejuízo de US$ 66,2 milhões, 36% menor do que as perdas de US$ 103,7 milhões registradas no mesmo período do ano anterior. No critério ajustado, a fintech teve lucro de US$ 3,2 milhões, queda de 79% no comparativo anual.

Os números estão no primeiro balanço divulgado pelo Nubank como companhia de capital aberto, após o IPO simultâneo em Nova York e São Paulo realizado em dezembro.

A diferença entre os números com e sem ajustes se deu pelo programa de remuneração com base em ações e pelas despesas com a abertura de capital. Avaliada em mais de US$ 40 bilhões, as despesas da fintech com a remuneração variável subiram 238% em um ano, para US$ 90,1 milhões no quarto trimestre.

Além disso, o Nubank gastou US$ 11,2 milhões com o NuSócios, programa através do qual distribuiu a seus clientes Brazilian Depositary Receipts (BDRs) gratuitos, um para cada cliente. O lucro ajustado exclui estes e outros efeitos.

Em dezembro, o Nubank chegou à marca de 53,9 milhões de clientes em todas as suas operações, crescimento de 61,9% na comparação com 2020. O total de clientes ativos era de 41,1 milhões, 88% a mais que no final do ano anterior.

Ao mesmo tempo, a receita média por cliente ativo chegou a US$ 5,6 por mês, alta de 72% no comparativo anual. O custo de servir, por outro lado, caiu 22,5% em um ano, para US$ 0,9.

As receitas do Nubank subiram 214% em um ano, para US$ 635,9 milhões no quarto trimestre. No acumulado de 2021, avançaram 130,4%, para US$ 1,698 bilhão.

Mais Recentes da CNN