Petz faz o AliExpress dele com e-commerce de importados para animal de estimação

Rede de petshop faz parceria com a startup uruguaia de importações Nocnoc, que já presta serviços para a Mobly e para o Mercado Livre no Brasil

Foto: Snapwire/Pexels

Tamires Vitorio, do CNN Brasil Business, em São Paulo

Ouvir notícia

A rede brasileira de produtos especializados para animais Petz anunciou nesta segunda-feira (29) o lançamento de uma plataforma de vendas de itens importados para pets. A entrega dos produtos deve demorar até 30 dias, graças a uma parceria com a startup de importações uruguaia Nocnoc.

A ideia é que a nova plataforma ofereça produtos de higiene, acessórios e brinquedos diferentes dos que já são ofertados pela Petz em seu site oficial. A estratégia dobra a aposta no e-commerce que, no ano passado, foi responsável por 26% da receita bruta da companhia no quarto trimestre de 2020.

Já a Nocnoc será responsável pela negociação, conversão das moedas, pagamento dos impostos e operação logística de entrega da loja online de importados para animais de estimação. A empresa também presta serviços para a Mobly e para o Mercado Livre no Brasil.

“Todos os nossos esforços são pensados para a melhor experiência dos nossos clientes. Poder oferecer aos tutores acesso a um sortimento mais amplo e exclusivo, do mundo todo, representa um grande avanço em nossa operação. Conhecemos a importância que as novidades e a inovação em produtos e serviços representam na jornada dos tutores e seus pets, e não abrimos mão de estarmos à frente disso”, afirma Luciano Sessim, diretor comercial e de marketing da Petz, em um comunicado enviado ao CNN Brasil Business.

Em meio à pandemia do novo coronavírus, a rede Petz só cresceu. As vendas digitais atingiram R$ 395,6 milhões no ano passado, crescendo 342% quando comparadas a 2019. 

O resultado positivo aconteceu em um ano de bons ventos para a companhia que, em setembro de 2020, movimentou R$ 3,03 bilhões ao abrir seu capital. Até sexta-feira (26), as ações da empresa (PETZ3) tinham se valorizado 40,3% desde o IPO, em setembro do ano passado.

Mais Recentes da CNN