O mundo comprou mais champanhe do que nunca no ano passado

Vendas globais da bebida atingiram um recorde de US$ 6,2 bilhões

O consumo de champanhe voltou aos níveis pré-pandemia no ano passado na França, com os embarques aumentando 25% para atingir quase 142 milhões de garrafas.
O consumo de champanhe voltou aos níveis pré-pandemia no ano passado na França, com os embarques aumentando 25% para atingir quase 142 milhões de garrafas. Jaeyoon Jeong/Unsplash

Anna Coobando CNN Business

Ouvir notícia

As casas de champanhe estão comemorando depois que as vendas e as exportações estabeleceram novos recordes no ano passado, mesmo quando os bloqueios de pandemia forçaram muitos bares e restaurantes a fechar.

O Comité Champagne, uma associação comercial que representa mais de 16.000 viticultores e 320 casas de champanhe, disse na quarta-feira (19) que a França exportou um recorde de 180 milhões de garrafas de espumante em 2021, um aumento de 38% em relação ao ano anterior.

As vendas globais de champanhe também atingiram um recorde de € 5,5 bilhões (US$ 6,2 bilhões).

O Comité Champagne disse que as remessas totais aumentaram 32% em relação ao ano anterior, para 322 milhões de garrafas, pois as pessoas encontraram motivos para comemorar em casa.

“Com o turismo e a realização de eventos ainda reduzidos devido à crise da saúde, há espaço para acreditar que o consumo doméstico recuperou a folga”, disse o grupo comercial em comunicado.

“Os consumidores optaram por se divertir em casa, compensando o clima geralmente sombrio com novos momentos de convívio e compartilhamento”, acrescentou.

Dados detalhados de exportação ainda não foram divulgados, mas em 2020, o Reino Unido e os Estados Unidos foram os principais mercados estrangeiros para champanhe.

O consumo de champanhe voltou aos níveis pré-pandemia no ano passado na França, com os embarques aumentando 25% para atingir quase 142 milhões de garrafas.

Maxime Toubart, copresidente do Comité Champagne, disse que a recuperação foi uma “surpresa bem-vinda” após um 2020 difícil.

O nome Champagne é reservado exclusivamente para vinhos colhidos e produzidos por 16.200 produtores em 34.300 hectares a nordeste de Paris.

A região foi atingida por fortes geadas na primavera passada, que prejudicaram as colheitas nas regiões vinícolas da França. A geada afetou cerca de 80% dos vinhedos nessas áreas, de acordo com o Comitê Europeu de Empresas de Vinhos.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN