Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    O que Musk quer com o Twitter? Trump vai voltar? 8 perguntas sobre o futuro da rede

    Universo da tecnologia e mídia digere acordo de Elon Musk, sempre imprevisível, para comprar o Twitter

    se a melhor era do Twitter está prestes a começar, ou se este é o começo do fim do serviço, sejamos honestos, ninguém sabe
    se a melhor era do Twitter está prestes a começar, ou se este é o começo do fim do serviço, sejamos honestos, ninguém sabe 28/09/2016REUTERS/Brendan McDermid

    Brian Stelterda CNN

    Ouvir notícia

    Duas das palavras mais honestas do jornalismo são “não sei”. Essas palavras vêm a calhar agora, enquanto todo o universo da tecnologia e mídia digere o acordo estranho de Elon Musk, sempre imprevisível, para tornar o Twitter privado, ou seja, sem ações na bolsa. O que Musk fará? O que o Twitter se tornará? Talvez nem Musk saiba.

    Então, se a melhor era do Twitter está prestes a começar, ou se este é o começo do fim do serviço, sejamos honestos, ninguém sabe. Aqui está o que sabemos, em forma de tuítes:

    >> Esse acordo “coloca o homem mais rico do mundo no comando de uma das redes sociais mais influentes”, como escreveram Clare Duffy e Donie O’Sullivan, da CNN.

    >> Isso “marcaria uma das maiores aquisições de uma empresa de tecnologia e provavelmente afetaria a direção das mídias sociais”, escreveu a equipe do Wall Street Journal.

    >> Musk disse que seu lance inicial, US$ 54,20 por ação, foi sua “melhor e última oferta” e, com certeza, foi exatamente isso que o conselho do Twitter aceitou 11 dias depois.

    Nada muda no curto prazo. O processo de negociação levará vários meses. Musk pode não assumir o controle do Twitter até meados de outubro.

    >> Musk fez algumas promessas aos usuários, incluindo “tornar os algoritmos de código aberto para aumentar a confiança, derrotar os bots de spam e autenticar todos os humanos”. Agora ele será preso a eles.

    >> Nos EUA, as reações ideológicas ao acordo seguiram linhas previsíveis. Uma manchete na página inicial do Wall Street Journal dizia assim: “Republicanos torcem por acordo; democratas veem perigos”.

    >> Em relação às perguntas sobre se Musk restabelecerá a conta de Donald Trump, o CEO Parag Agrawal disse aos funcionários: “Assim que o acordo for fechado, saberemos em que direção a plataforma irá”.

    Oito perguntas

    >> Como foi o primeiro trimestre do Twitter?

    A empresa ainda divulgará os ganhos do primeiro trimestre na quinta-feira, mas à luz do acordo, não haverá uma teleconferência para analistas.

    >> “Para que Musk acha que serve o Twitter?”

    Isso é o que Casey Newton perguntou em seu boletim Platformer na noite de segunda-feira. “Tudo o que temos para continuar é uma série de tweets e declarações enigmáticas que são curtas o suficiente para permitir uma ampla interpretação”.

    >> Quando Musk elaborará seus planos? Ele fará isso pelo Twitter ou por métodos que permitam mais detalhes e nuances?

    >> Os funcionários do Twitter vão querer trabalhar para Musk?

    Alguns reagiram à aquisição de Musk “com choque e consternação”, relatou Elizabeth Dwoskin, do Washington Post. “Alguns tuitaram emojis cheios de lágrimas e memes de pessoas tendo colapsos emocionais, enquanto outros disseram ao The Post que estavam em choque demais para falar.”

    >> O que acontecerá com a atual equipe de liderança do Twitter?

    Em uma reunião geral na segunda-feira, Agrawal disse estar “otimista” sobre o futuro da empresa, dizendo que Musk “quer que o Twitter seja uma força poderosa e positiva no mundo, assim como todos nós”. Mas é difícil imaginar Agrawal ficando parado.

    >> Qual será o papel de Jack Dorsey, cofundador da rede?

    Na noite de segunda-feira, ele twittou que “o objetivo de Elon de criar uma plataforma que seja ‘máxima de confiança e amplamente inclusiva’ é o certo. Esse também é o objetivo [de Agrawal] e o motivo pelo qual o escolhi. Obrigado a ambos por tirar a empresa do uma situação impossível. Este é o caminho certo… Eu acredito com todo meu coração.”

    >> E a sede do Twitter?

    Roland Li, do SF Chronicle, sinalizou as possíveis ramificações para a cidade, já que Musk expressou “ceticismo em relação ao trabalho remoto”.

    >>Quão controverso se tornará Musk vs. Jeff Bezos? Como Richard Lawler, do The Verge, observou, “Jeff Bezos já está testando o compromisso de Elon Musk com a liberdade de expressão ao trolar” Musk com alguns tweets de segunda à noite sobre a China…

    >>Trump vai voltar?

    A resposta curta, segundo o repórter Oliver Darcy, da CNN, é que é muito cedo para dizer. O próprio Trump insistiu com a Fox na segunda-feira que, mesmo que fosse permitido voltar à plataforma, ele não retornaria e optará por usar seu próprio aplicativo Truth Social. Mas é difícil ver o ex-presidente, alguém claramente viciado em Twitter, recusando a oportunidade de usar a plataforma se lhe fosse permitido, pontua Darcy.

    A questão realmente é esta: o Twitter, sob a propriedade de Musk, reverterá sua decisão de bani-lo? Quando se trata de liberdade de expressão, Musk deixou bem claro em que direção ele quer levar a plataforma…

    Brian Lowry acrescenta: “Para os conservadores que estão reclamando de serem discriminados nas mídias sociais, Musk adquirir o Twitter pode acabar sendo um ‘Cuidado com o que você deseja por’ momento. E pelo farto de haver um aspecto de marketing nesse conceito de ser vítima da Big Tech, pode ser difícil abandoná-lo, independentemente das mudanças que a nova propriedade traz para a plataforma….”

     

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original

    Mais Recentes da CNN