O que se sabe até agora sobre o carro elétrico autônomo da Apple

Produzir um carro pode ser uma nova fonte de renda para a Apple, algo em que a empresa tem trabalhado após o crescimento flutuante das vendas do iPhone

Apple Store
Apple Store Foto: Andy Wang / Unsplash

Clare Duffy, do CNN Business

Ouvir notícia

Especulações de longa data de que a Apple lançará seu próprio carro elétrico autônomo reacenderam-se na semana passada, quando a agência de notícias Reuters, citando fontes anônimas, informou que a Apple planeja produzir um veículo de passageiros até 2024. As discussões sobre as ambições da fabricante do iPhone de entrar no setor automobilístico vêm acontecendo há cerca de cinco anos.

As expectativas para a empreitada, chamada de Projeto Titan, vão desde o desenvolvimento de um carro próprio com a marca Apple até o fornecimento de softwares de sistema operacional para montadoras. Em abril de 2017, a Apple obteve uma licença do Departamento de Veículos Motorizados do estado da Califórnia, para testar veículos autônomos.

Um carro da Apple tem potencial para ser “um evento transformador” na indústria automobilística e de mobilidade nas próximas décadas, assim como o iPhone mudou a realidade dos telefones celulares, escreveram analistas do Morgan Stanley em um comunicado a investidores na semana passada.

Leia também:
Dólar, arroz, R$ 200 e auxílio emergencial: os destaques da economia em 2020
Brasil tem a sexta moeda que mais perdeu valor frente ao dólar em 2020
São Paulo aprova orçamento para 2021 com aumento nas receitas apesar da pandemia

“Há muitas coisas em andamento no mundo dos veículos elétricos e autônomos e da tecnologia conectada”, escreveram os analistas. “Talvez este seja um bom momento para a empresa mais valiosa do mundo fazer uma aposta nesse mercado global de mobilidade de US$ 10 trilhões”.

A Apple se manteve em silêncio sobre suas ambições quanto a carros, e não respondeu a um pedido de comentários sobre os relatos recentes.

Embora a Apple seja famosa por seu design e potência de fabricação e esteja cheia de dinheiro, os carros são um negócio muito diferente e com margens menores. Ainda assim, entrar mais tarde em um novo mercado tem sido o estilo da Apple: a empresa não inventou os smartphones, por exemplo, mas criou um design inovador, claro e fácil de usar que revolucionou a área e ajudou a dominar o mercado.

Veja o que se sabe sobre o possível Apple Car.

Por que a Apple faria um carro?

Os veículos elétricos são um setor em expansão e a agitação em torno disso chegou a um novo patamar em 2020. As montadoras de carros movidos a energia elétrica viram os preços de suas ações e sua arrecadação de fundos crescerem de forma saudável neste ano, em contraste com as muitas empresas que tropeçaram com a pandemia de 2020.

Analistas suspeitam que a Apple e outras empresas de tecnologia, como a Waymo do Google, querem aproveitar essa oportunidade, especialmente à medida que a infraestrutura se expande para sustentar uma maior adoção de veículos elétricos.

A Apple também pode estar de olho no rápido crescimento da Tesla, a maior fabricante mundial de veículos elétricos. (O CEO Elon Musk recentemente tuitou que abordou o CEO da Apple, Tim Cook, sobre uma possível venda logo no início do programa Model 3 da Tesla, mas disse que Cook não quis marcar uma reunião. A Apple não respondeu a um pedido de comentários.)

O valor de mercado da Tesla chegou a mais de US$ 630 bilhões após suas ações dispararem 682% neste ano, tornando-a mais valiosa que a soma do valor de mercado das principais montadoras do mundo. Considerando que o desenvolvimento de um carro normalmente leva de quatro a cinco anos, a Apple pode estar pisando fundo agora para garantir que possa ser um real concorrente da Tesla.

“Se continuarem esperando, será que a Tesla poderia ficar tão à frente que a Apple nunca conseguiria alcançá-la?” questionou Tom Forte, analista da D.A. Davidson.

Leia também:
Corrida das vacinas nas bolsas: ação da Pfizer cai 6% e da Moderna sobe 470%
Funcionário de hospital danifica propositalmente 500 doses de vacina nos EUA
Com 1,6 milhão de doses, último lote da Coronavac chega a São Paulo

Alguns especialistas acreditam que é mais provável que a Apple faça parcerias com uma ou várias montadoras para vender um sistema operacional, um software autônomo ou outra tecnologia para carros, em vez de fabricar o veículo como um todo.

“Uma parceria provavelmente faz mais sentido”, disse Mike Bailey, diretor de pesquisa da FBB Capital Partners. “O único problema que ouvi falar é que carros podem ser menos lucrativos em comparação com outros produtos da Apple, portanto fica a dúvida se a Apple vai mudar a marcha em direção a uma linha de negócios menos lucrativa”. A Tesla levou anos para se tornar lucrativa, registrando seu primeiro lucro operacional anual em janeiro de 2020, após quase uma década como uma empresa de capital aberto.

Produzir um carro, ou mesmo um sistema operacional, pode ser uma nova fonte de renda para a Apple, algo em que a empresa tem trabalhado após o crescimento flutuante das vendas nos últimos anos de seu maior gerador de receitas, o iPhone.

Carros autônomos também poderiam gerar mais tempo, para que as pessoas pudessem usar seus iPhones e outros dispositivos e serviços da Apple. Em todo o mundo, motoristas e passageiros passam 600 bilhões de horas por ano dentro de um carro, de acordo com analistas do Morgan Stanley. Entre as patentes da Apple relacionadas a carros está um sistema de realidade virtual que pode ajudar passageiros a trabalhar dentro de um veículo sem ficarem enjoados.

“Se olharmos para o futuro, é difícil ver o carro da Apple como a próxima grande inovação, da mesma maneira que, por exemplo, o negócio da nuvem foi para a Microsoft e o Google. Por outro lado, ninguém viu a nuvem chegando”, disse Bailey do FBB Capital Partners. “Isso pode ser muito interessante para a Apple, mas parece um tiro no escuro”.

Patentes relacionadas a carros?

A Apple obteve patentes para uma ampla gama de invenções para carros, como sistemas para controlar o movimento de veículos parcial ou totalmente autônomos, e métodos para ajustar a transparência ou opacidade das janelas dos automóveis.

A Apple também lutou para proteger a propriedade intelectual relacionada a carros. Em 2019, o FBI acusou dois cidadãos chineses que trabalhavam para a empresa de roubar segredos comerciais do projeto de carro autônomo. A Apple disse em uma ação judicial que a exposição de documentos confidenciais seria “enormemente prejudicial”.

Quem está trabalhando no projeto?

Uma pesquisa no LinkedIn mostra que, nos últimos anos, a Apple contratou executivos experientes, engenheiros e gerentes de supply chain da Tesla, Waymo do Google, Fiat Chrysler, BMW, Ford, Uber e outros líderes da indústria automotiva.

Leia mais:
Após meses de isolamento, casal sai para cortar cabelo e morre de Covid-19
País está no limite do endividamento e deve voltar à normalidade, diz Bolsonaro
Cinco pessoas da mesma família morrem após deslizamento durante chuva em SP

O Projeto Titan atraiu talentos como Doug Field, que desenvolveu veículos na Tesla, Ford e Segway, e Julian Honig, um antigo designer da Audi. Field entrou na Apple em 2018, de acordo com seu perfil no LinkedIn. A CNBC relatou em janeiro de 2019 que a Apple demitiu 200 pessoas do Projeto Titan. Na época, a empresa apenas divulgou um comunicado descrevendo uma reorganização envolvendo a mudança de funcionários para outras equipes.

Em resumo: o tamanho exato e a composição do projeto não estão claros.

E agora?

No curto prazo, analistas dizem que a Apple provavelmente tem algumas prioridades mais urgentes, como construir o ecossistema em torno de seu iPhone 5G e intensificar suas ações na área de saúde.

Mas a ideia de um carro da Apple continua sendo uma possibilidade tentadora.

“Se eu acho que a Apple pode ser um grande concorrente em termos de veículos elétricos autônomos, se quiser?” perguntou Forte, da D.A. Davidson. “Com certeza”.

Matt McFarland e Sherisse Pham da CNN contribuíram para esta reportagem.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês)

 

Mais Recentes da CNN