Oferta de chips vai se estabilizar, mas em níveis baixos, diz presidente da GM

Escassez global fez montadoras reduzirem a produção e alguns executivos do setor alertam que o problema pode durar até 2023

Linha de montagem do Chevy Bolt EV em fábrica da GM em Michigan, nos EUA
Linha de montagem do Chevy Bolt EV em fábrica da GM em Michigan, nos EUA REUTERS/Joe White (24/11/2016)

da Reuters

Ouvir notícia

O presidente da General Motors afirmou nesta terça-feira que a oferta global de semicondutores vai começar a se estabilizar, mas em níveis menores do que a indústria de veículos gostaria.

“Vamos ver uma estabilização em alguma medida antes de termos o volume que realmente precisamos”, disse Mark Reuss durante conferência nos Estados Unidos.

A escassez global de chips fez a GM e outras montadoras ao redor do mundo reduzirem produção e alguns executivos do setor alertaram que o problema pode durar até 2023.

Na semana passada, o vice-presidente financeiro da GM, Paul Jacobson, afirmou que a companhia espera um “ano mais estável” em 2022 para os fornecedores de chips e alertou que as entregas de veículos no terceiro trimestre podem recuar em 200 mil veículos por causa da escassez de componentes.

Reuss também afirmou que uma questão importante para a indústria de veículos será a reciclagem de materiais usados em baterias de veículos elétricos, que utilizam metais de terras raras.

“Há muito material em uma célula de bateria que pode ser reutilizado”, disse o executivo. “Estamos investindo tempo nisso.”

A GM anunciou em julho investimento em um projeto de lítio nos Estados Unidos que vai se tornar o maior do país até 2024 e tornar a montadora uma das primeiras a desenvolver sua própria fonte de matéria-prima para baterias de carros elétricos.

Reuss afirmou ainda que a GM está buscando oportunidades na Austrália, mas não deu detalhes.

Mais Recentes da CNN