Pampili cria tênis digital em NFT para realizar leilão beneficente

O vencedor do certame deve receber uma versão física do calçado, batizado de Pamp Jump

Foto: Pampili/Divulgação

Matheus Prado,

do CNN Brasil Business, em São Paulo*

Ouvir notícia

A Pampili, marca brasileira de moda infantil, criou um tênis digital em NFT — um token exclusivo com autenticidade e propriedade verificadas, ou seja, que não pode ser replicado — e irá leiloá-lo em maio. Além da versão digital, o vencedor do certame deve receber uma versão física do calçado, batizado de Pamp Jump. 

Após o leilão, 70% do valor arrecadado na venda do token será doado para a ONG Movimento Saber Lidar, braço da Associação pela Saúde Emocional de Crianças (ASEC), que é parceira da marca desde 2010.  

O comprador poderá ainda revender o produto em qualquer marketplace do mundo, gerando mais 20% de comissão, que será automaticamente repassada para a carteira da Pampili e destinada para o mesmo projeto.

Como o processo é realizado através de um contrato inteligente, qualquer pessoa que tenha uma carteira de criptomoedas pode participar, mas só conseguirá dar um lance se tiver os recursos.

Tokens não fungíveis, ou NFTs, ganharam força nos últimos meses como uma tecnologia popular para vender arte e outros produtos de forma digital. Trata-se de um ativo criptografado e registrado em blockchain, base usada em criptomoedas como o bitcoin. A modalidade vem ganhando espaço e é considerada o próximo grande passo para o mercado de produtos colecionáveis, além de outras aplicações.

Entre as marcas de moda, a Gucci foi pioneira no tema ao lançar uma coleção de tênis que só podem ser utilizados digitalmente. 

Já no mundo das artes, a cantora Pabllo Vittar afirmou no seu Instagram que “está trabalhando em um drop de NFT”. O cantor Supla foi pelo mesmo caminho. Em parceria com o cineasta Frederico Lapenda, colocou à venda um vídeo do app TikTok por 1 ETH, criptomoeda adquirida pelo blockchain Ethereum — por cerca de R$ 13.574,34.

Por sua vez, Lucas Silveira, vocalista da banda Fresno, está vendendo um gif de uma obra feita pelo artista visual Bruno 9li por 0,02 ETH e, segundo ele, a obra é “a primeira de uma série”. 

Nos Estados Unidos, a banda Kings Of Leon foi a primeira a vender um álbum utilizando a tecnologia, arrecadando cerca de US$ 2 milhões com a venda. Por cada unidade do disco, são cobrados 766,4 ETH. 

*Com informações de Tamires Vitório

Tópicos

Mais Recentes da CNN