Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Por retomada, pedidos de falência têm queda de 12,6% em julho 

    Dados obtidos com exclusividade pela CNN mostram recuo, que veio após uma alta na casa dos 30% ao mês entre maio e junho

    Thais Herédiada CNN

    Ouvir notícia

    Depois de registrar alta na casa dos 30% ao mês entre maio e junho, os pedidos de falência de empresas tiveram queda de 12,6% em julho, segundo dados exclusivos obtidos pela CNN. O acompanhamento feito pela Boa Vista mostra que os pedidos de recuperação judicial (RJ) também tiveram queda no mês passado, ainda mais forte, de 37,6%. 

    As falências decretadas continuaram a subir em julho, 16,8%, como resposta ao movimento registrado nos meses anteriores. No caso do deferimento das RJ, houve recuo de 37,9%. O quadro reflete a fragilidade financeira das empresas e a dificuldade para manter os negócios funcionando. 

    Leia também:
    Covid-19 faz pedido de recuperação judicial aumentar entre empresas; entenda como funciona
    Câmara aprova novas regras para recuperações judiciais e falências

    No acumulado em 12 meses, os pedidos de recuperação judicial apresentaram alta de 31,4%, assim como as recuperações judiciais deferidas (30,1%). No mesmo sentido, os pedidos de falência subiram 28,3%. Já as falências decretadas recuaram 0,9%, mantida a base de comparação.

    O setor de serviços é o mais atingido pela crise, segundo levantamento feito pelo Boa Vista. No segundo trimestre, o setor respondeu por 40% dos pedidos e 45% dos decretos de falência. Indústria e comércio apresentam o mesmo nível, com cerca de 30% dos registros cada um. 

    “A perspectiva é de melhora porque a atividade está voltando e isso traz receita para as empresas, o que reduz a possibilidade de pedidos de falência e também de recuperação judicial. Apesar da redução em julho, os pedidos em 12 meses ainda estão muito altos. Mesmo com a melhora esperada a partir de agora, devemos fechar o ano com um quadro parecido com o que aconteceu na recessão entre 2015 e 2016, com alta entre 10% e 15%”, disse Flavio Calife, economista-chefe da Boa Vista. 

    O pedido de falência é feito pelo credor, que pode ser um banco ou um fornecedor que não recebeu o pagamento. A recuperação judicial é uma demanda do próprio empresário que tenta se antecipar aos problemas de caixa, ganhar tempo e renegociar com seus credores para continuar funcionando.

    Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

    Mais Recentes da CNN