Pedidos de seguro-desemprego recuam 12% em julho, segunda queda seguida

Foram 570 mil solicitações no mês passado, segundo o governo; no acumulado do ano, os pedidos superam a casa de 4,5 milhões

Número de brasileiros que pedem seguro-desemprego ainda está acima de 500 mil ao mês
Número de brasileiros que pedem seguro-desemprego ainda está acima de 500 mil ao mês Foto: Reprodução/CNN (12.jun.2020)

Anna Russi,

do CNN Brasil Business, em Brasília

Ouvir notícia

Pelo segundo mês seguido, o número de pedidos de seguro-desemprego caiu no país. Em julho, foram 570.543 solicitações, um recuo de 12,7% em relação ao mês anterior, segundo informou o Ministério da Economia nesta quinta-feira (6).

Já na comparação com o mesmo mês de 2019, quando não havia pandemia, a queda foi de 8,8%.

No acumulado dos sete primeiros meses do ano, foram 4,521 milhões de solicitações de seguro-desemprego, um avanço de 11,1% ante o mesmo período do ano passado. 

Leia também:
Seguro-desemprego: governo autoriza depósito do benefício em qualquer banco
Solicitações de seguro-desemprego no Brasil caem 32% em junho sobre maio

Em junho, os pedidos de seguro-desemprego por trabalhadores formais haviam somado 653.160. O número representou um recuo de 32% em relação ao mês de maio. 

Na liderança do seguro-desemprego estão os trabalhadores do setor de serviços, que foram responsáveis por 43,3% dos requerimentos.

Pedidos online

Por causa da pandemia e das consequentes medidas de isolamento na maior parte do país, houve um recuo de 48,9% nos pedidos presenciais de janeiro a julho, enquanto as solicitações pela internet subiram 4.069%.

As solicitações online podem ser feitas por meio do portal gov.br ou por meio da Carteira de Trabalho Digital. Até julho, 54,7% dos requerimentos foram virtuais. 

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

 

Mais Recentes da CNN