Pedidos de seguro-desemprego caem em dezembro e fecham 2020 com leve alta

Com 6.784.102 requerimentos, os pedidos por seguro-desemprego no Brasil avançaram 1,9% em 2020 ante o ano anterior

Foto: Tony Winston/Agência Brasília
Foto: Tony Winston/Agência Brasília

Anna Russi, da CNN Brasil, em Brasília

Ouvir notícia

Com 6.784.102 requerimentos, os pedidos por seguro-desemprego no Brasil avançaram 1,9% em 2020, ante o ano anterior. 

Apesar da alta no acumulado do ano, o resultado de dezembro, com 425.691 solicitações, recuou 4,6% quando comparado ao mês anterior. Além de ser o menor número entre todos os meses de 2020, também foi a terceiro queda mensal seguida. Em maio, considerado um dos piores meses da pandemia de Covid-19, os pedidos chegaram a 960.308.

Na comparação com dezembro de 2019, também houve queda, de 2%.

Os dados são da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

As quedas nos últimos meses do ano se alinham com o movimento de recuperação do mercado de trabalho com carteira de trabalho, observada nos resultados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que apresenta saldo positivo desde julho.

Do total de solicitações no ano, 56,9% foram feitas de forma virtual. Em 2019, os requerimentos via Web equivaleram a 2,3% do total. 

O seguro-desemprego só pode ser solicitado por trabalhadores com carteira assinada. Segundo o Instituo Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), a taxa de informalidade atingia, no terceiro trimestre de 2020, 38,4% (31,6 milhões de trabalhadores) da população ocupada do país. 

Mais pedidos no setor de serviços

Em dezembro, 38,4% dos pedidos foram feitos por trabalhadores do setor de serviços, que é o que mais sofreu os impactos econômicas da pandemia e das medidas de distanciamento social. No mesmo mês do ano anterior, o percentual dessa atividade ficou em 25% do total. 

Em segundo lugar, ficaram os trabalhadores do setor de comércio, que responderam por 25,1% do total no último mês de 2020.

Mais Recentes da CNN