Pesquisa mostra aumento no consumo dos brasileiros em bares e restaurantes

Segundo levantamento feito pela Credicard, em outubro deste ano houve um crescimento de 28% no gasto das pessoas em bares e restaurantes na comparação com outubro de 2020

Restaurantes: 79% dos empresários do setor mostraram confiança na retomada e dizem esperar um aumento nas vendas no fim de ano
Restaurantes: 79% dos empresários do setor mostraram confiança na retomada e dizem esperar um aumento nas vendas no fim de ano Getty Images

Iuri Corsinida CNN

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Uma pesquisa feita pela Credicard, com base nos gastos dos cartões da marca, mostra que houve aumento de consumo em bares e restaurantes brasileiros. Segundo o levantamento, em outubro deste ano houve um aumento de 28% no consumo nestes estabelecimentos em relação a outubro do ano passado. O dado é um reflexo do avanço da vacinação e da melhora significativa nos números da pandemia.

Já em comparação com o mês de setembro de 2021, o aumento no consumo foi de 10%. A pesquisa ainda mostra que 86% destes gastos em bares e restaurantes no mês passado aconteceram em compras presenciais.

O setor de bufês também tem apresentado melhoras. Conforme o Credicard, o total gasto no cartão de crédito no setor, em outubro, aumentou 56% em relação ao mesmo mês do ano passado, e teve alta de 8% na comparação com setembro de 2021.

Corroborando com os números acima, uma pesquisa feita pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) entre os dias 14 e 22 de outubro, revelou que 79% dos empresários do setor ouvidos mostraram confiança na retomada e dizem esperar um aumento nas vendas no fim de ano.

Apesar disso, a pesquisa indicou que há, ainda, 32% de donos de bares e/ou restaurantes que seguem trabalhando no prejuízo. O número, no entanto, apresenta uma pequena melhora em relação à pesquisa feita em setembro, quando eram 35% funcionando no vermelho.

“Por um lado, estamos otimistas com a retomada. Fecharemos o segundo semestre com crescimento real de 2% a 3%. Com o avanço da vacinação e a melhora dos indicadores, este desejo que estava há meses reprimido nos brasileiros está se concretizando nos encontros em torno das mesas dos bares e restaurantes”, relata o presidente-executivo da associação, Paulo Solmucci.

“Ao mesmo tempo, seguimos com os pés no chão entendendo que ainda enfrentamos um cenário muito difícil, com alta de inflação e com o alto grau de endividamento das empresas. A pandemia foi especialmente dura com o setor e precisaremos de pelo menos dois anos para colocar as coisas nos eixos”, conclui.

Mais Recentes da CNN