Petróleo sobe rumo a máximas de 7 anos com queda de estoques nos EUA

Oferta global apertada e as tensões geopolíticas na Europa Oriental e no Oriente Médio aumentaram os preços do petróleo em cerca de 15% até agora este ano

Bomba de petróleo em Midland, no Texas, EUA.
Bomba de petróleo em Midland, no Texas, EUA. 22/08/2018 REUTERS/Nick Oxford

Por Julia Payne, da Reuters

Ouvir notícia

Os preços do petróleo subiam nesta quarta-feira (2) em direção a máximas de sete anos atingidas na semana passada, com uma queda nos estoques de petróleo dos EUA confirmando forte demanda e oferta apertada, mas os investidores permaneciam cautelosos antes de reunião da Opep+ prevista para o final do dia.

O petróleo Brent subia US$ 0,01, ou 0,01%, a US$ 89,17 por barril, às 8:25 (horário de Brasília).

O petróleo dos Estados Unidos avançava US$ 0,12, ou 0,14%, a US$ 88,32 por barril.

A oferta global apertada e as tensões geopolíticas na Europa Oriental e no Oriente Médio aumentaram os preços do petróleo em cerca de 15% até agora este ano.

Na sexta-feira, os benchmarks de petróleo atingiram seus preços mais altos desde outubro de 2014, com o Brent atingindo US$ 91,70 e o petróleo dos EUA atingindo US$ 88,84.

“Acho que o aumento de 400.000 barris por dia (da Opep+) está precificado, o que, a julgar pelos números recentes de conformidade, será menor do que isso devido a restrições de produção”, disse Tamas Varga, analista da PVM Oil Associates, acrescentando que o clima frio nos Estados Unidos também deve sustentar os preços.

Os estoques de petróleo dos EUA caíram 1,6 milhão de barris na semana encerrada em 28 de janeiro, contra a estimativa de analistas de um aumento de 1,5 milhão de barris, segundo fontes do mercado citando números do Instituto Americano de Petróleo na terça-feira (1).

Mas os estoques de gasolina subiram 5,8 milhões de barris, acima das expectativas dos analistas para um aumento de 1,6 milhão de barris.[EIA/S]

Mais Recentes da CNN