PIB do Brasil deve cair 6% em 2020 por coronavírus, diz Moody’s Analytics

Para a América Latina, expectativa da agência é de contração de 5,5%, o dobro do registrado na crise financeira mundial de 2008

Ouvir notícia
 
Funcionário sanitiza via pública em Porto Alegre

Funcionário sanitiza via pública em Porto Alegre, Rio Grande do Sul (28.mar.2020)

Foto: Cesar Lopes/PMPA

A economia brasileira deve encolher 6% este ano por causa dos efeitos negativos na atividade da pandemia do coronavírus, prevê a Moody’s Analytics, em teleconferência nesta terça-feira. Para a América Latina, a expectativa é de contração de 5,5% este ano, o dobro do que foi na crise financeira mundial de 2008, disse o diretor da instituição, Alfredo Coutiño.

O México deve ficar com a pior contração do Produto Interno Bruto (PIB) este ano na região, de 6,5%. “As duas maiores economias da região são as que mais vão sofrer”, disse o diretor da Moody’s Analytics no evento, ressaltando que o governo mexicano demorou a tomar medidas para conter os efeitos da crise.

Coutiño disse que o México depende muito dos Estados Unidos e o Brasil da China, economias que também terão piora substancial da atividade este ano. “O canal do comércio exterior é muito importante para estes dois países.” Além disso, o Brasil e a América Latina como um todo dependem muito da evolução dos preços das commodities no mercado internacional, que estão despencando.

Entre outros países da América Latina, o Chile deve ter contração de 5,5%, o Uruguai de 5% e a Argentina, que já vem de um quadro recessivo, de 4,8%, prevê a Moody’s Analytics.

Estas previsões levam em conta que o número de casos de coronavírus nos Estados Unidos não supere o nível de 8 milhões até junho. Se houver muitos mais contaminações do que o esperado Coutiño disse que o PIB da América Latina pode ter contração maior, podendo chegar a 8% este ano.

Mais Recentes da CNN