Plataforma de criptomoedas Bitso capta US$ 62 milhões e entra no Brasil

A plataforma diz que pretende fazer do Brasil seu maior mercado, mesmo já tendo 1 milhão de usuários, com destaque para México e Argentina

Moedas com símbolo do bitcoin, um dos criptoativos mais conhecidos
Moedas com símbolo do bitcoin, um dos criptoativos mais conhecidos Foto: Dmitry Demidko/Unsplash

Aluisio Alves, da Reuters

Ouvir notícia

A plataforma mexicana de criptomoedas Bitso anunciou nesta quarta-feira que recebeu uma rodada de investimentos de 62 milhões de dólares liderada pelo fundos QED Investors e Kaszek Ventures, dias após ter estreado no Brasil.

A plataforma, que se apresenta como a maior do setor na América Latina e a única regulada da região, diz que pretende fazer do Brasil seu maior mercado, mesmo já tendo 1 milhão de usuários, com destaque para México e Argentina.

O aporte marca a entrada no setor da QED Investors, que já investiu entre outros na corretora Warren, no Nubank e na plataforma de reforma e revenda de apartamentos Loft. O mesmo vale para a Kaszek Ventures, também investidor do Nubank e de Gympass, GetNinjas e QuintoAndar, entre outras startups.

Leia também:
Brasil ainda não sabe qual será o Orçamento de 2021 – e por que isso é ruim
S&P Dow Jones exclui Carrefour Brasil de índice de sustentabilidade

Segundo o presidente da Bitso, Daniel Vogel, o plano da companhia é tornar as criptomoedas mais “úteis” para transações financeiras, em vez de terem o investimento financeiro como principal finalidade.

Já regulada pela Comissão de Serviços Financeiros de Gibraltar (GFSC, na sigla em inglês), a Bitso buscou apoio do escritório de advocacia Pinheiro Neto, que nos últimos anos se notabilizou pelo trabalho com empresas financeiras de base tecnológica dentro de um escopo regulatório em transformação.

“Já temos conversado com os principais reguladores do mercado no Brasil e pretendemos ser regulados também aqui”, disse Vogel à Reuters.

Fundada em 2014 e com sede no México, a Bitso estreou em fevereiro passado. A companhia opera com as criptomoedas bitcoin, ether, XRP, litecoin, bitcoincash, trueUSD, decentraland, golem, basic attention token e DAI.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

Mais Recentes da CNN