Poder de mercado de Alexa, Siri e Google Assistant preocupa reguladores europeus

Mercado global deve dobrar para 8,4 bilhões de aparelhos entre 2020 e 2024, segundo Statista

Instruções sobre como usar o assistente pessoal Alexa da Amazon são vistas em um 'centro de experiência' da Amazon em Vallejo, Califórnia, EUA
Instruções sobre como usar o assistente pessoal Alexa da Amazon são vistas em um 'centro de experiência' da Amazon em Vallejo, Califórnia, EUA Foto: Elijah Nouvelage/Reuters

Por Foo Yun Chee, da Reuters

Ouvir notícia

O poder de mercado dos assistentes pessoais de Amazon, Apple e Google tem preocupado reguladores europeus, que veem chance de haver práticas que violam leis de defesa da concorrência.

A Comissão Europeia divulgou a avaliação nesta quarta-feira (9)  depois de uma análise de um ano sobre o mercado de assistentes digitais e outros dispositivos conectados. Mais de 200 empresas responderam a questionamentos da comissão.

Investigações similares realizadas anteriormente sobre setores como comércio eletrônico, medicamentos e serviços financeiros levaram a casos contra as empresas investigadas e a multas pesadas.

Os assistentes pessoais Alexa, Siri e Google Assistant são os mais populares na Europa. O mercado global deve dobrar para 8,4 bilhões de aparelhos entre 2020 e 2024, segundo a Statista.

“Vimos indicações de que algumas práticas que conhecemos muito bem podem levar ao surgimento de ‘gatekeepers'”, disse a comissária europeia de defesa da competição, Margrethe Vestager, a jornalistas.

“E pelos resultados preliminares publicados hoje, parece que nossas preocupações são compartilhadas por muitos”, disse ela.

A agência de defesa da competição da UE citou que os participantes da pesquisa mencionaram preocupações sobre certa exclusividade e práticas vinculantes relacionadas aos aparelhos que incluem impossibilidade de instalação de um segundo assistente pessoal em um dispositivo.

Uma segunda preocupação é sobre fornecedores de assistentes pessoais promovendo seus próprios serviços ou os de terceiros por meio de configurações pré-ajustadas, o que restringe o acesso de rivais aos consumidores.

Uma terceira preocupação é a falta de interoperabilidade entre os aparelhos.

Mais Recentes da CNN