Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Por aprovação da PEC dos Precatórios, governo acena a governadores da oposição

    Segundo informações da âncora da CNN, Daniela Lima, a inclusão de temas importantes aos estados foi um aceno a governadores e prefeitos

    Lucas Rochada CNN

    em São Paulo

    Ouvir notícia

    Na tentativa de tentar aprovar a PEC dos Precatórios, que abre espaço no Orçamento para bancar o Auxílio Brasil de R$ 400, o novo programa social do presidente Jair Bolsonaro, o governo fez aceno aos governadores da oposição.

    Segundo informações da âncora da CNN Brasil Daniela Lima, no mapeamento das últimas ofensivas de aliados do governo começaram a ser acenadas a governadores e prefeitos da oposição a inclusão na PEC de temas que são importantes aos estados, como a securitização da dívida.

    O diretor da CNN Brasil Business, Fernando Nakagawa, explica que a securitização da dívida consiste basicamente na antecipação do pagamento de uma dívida que só seria paga no futuro. “Securitizar uma dívida é pegar uma dívida que vai ser paga lá na frente, trazer o valor ao momento presente, com desconto. Quanto mais incerta é a dívida, maior é esse desconto”, explica Nakagawa.

    Um exemplo é o caso do governador do Piauí, Wellington Dias (PT), presidente do Consórcio Nordeste, que defende a securitização. O mecanismo seria incluído à PEC dos Precatórios para que o governador possam articular com os deputados do estado para serem favoráveis à medida.

    Isso é uma estratégia que o governo vem fortalecendo, utilizando governos estaduais e municipais para pressionar os deputados que não estão dispostos a aprovar a PEC dos Precatórios.

    A âncora Daniela Lima conversou com Gleisi Hoffmann para compreender essa movimentação. A presidente do PT confirmou que o partido está acompanhando essa tentativa de cooptar votos da oposição, modificando e incluindo temas que são sensíveis aos governadores da oposição à PEC dos Precatórios.

    A oposição, que fechou questão contra a PEC, alegando especialmente o calote aos professores, faz uma reunião nesta quarta-feira, às 14h, para definir estratégias para levar ao Plenário.

    Mais Recentes da CNN