Porto de Itaguaí é desinterditado pelo Instituto Estadual do Meio Ambiente

CSN defende que interdição da prefeitura de Itaguaí foi ilegal

Fiscais da Prefeitura de Itaguaí inspecionam porto local
Fiscais da Prefeitura de Itaguaí inspecionam porto local Foto: Prefeitura de Itaguaí

Gregory Prudenciano, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O Porto de Itaguaí, no estado do Rio de Janeiro, foi desinderditado por determinação do Instituto Estadual do Meio Ambiente, informou em nota a CSN na noite desta sexta-feira (16).

A desinterdição ocorreu no mesmo dia em que a prefeitura de Itaguaí impediu o funcionamento do Porto Sepetiba-Tecon, de contêineres, um dos maiores do Brasil, alegando “diversas irregularidades ambientais”. 

A CSN alega que a interdição foi ilegal e afirma que a prefeitura acatou a decisão do órgão estadual, que comprovou a existência de “todas as licenças ambientais”. A empresa, usa o porto para exportação de minério de ferro, classificou como “infundadas” as acusações da prefeitura. 

Além de interditar o porto, a municipalidade aplicou uma multa de mais de R$ 4 milhões na CSN e outra de R$ 1,4 milhão no porto.

A prefeitura afirmou que tanto a CSN quanto a operadora do terminal apresentam “problemas nas estações de tratamento de efluentes”, e disse ter constatado que a mineradora lançava o efluente do minério de ferro na Baía de Sepetiba.

Mais Recentes da CNN