Preço do petróleo sobe após sinal de negociação entre EUA e Rússia

Commodity havia atingido o menor valor em 18 anos na semana passada

Sonda de petróleo na região de Midland, Texas (22.ago.2019)
Sonda de petróleo na região de Midland, Texas (22.ago.2019) Foto: Jessica Lutz/REUTERS

Reuters

Ouvir notícia

Os preços do petróleo subiam nesta terça-feira, após o presidente norte-americano Donald Trump e o russo Vladimir Putin terem concordado em promover conversas com o objetivo de estabilizar os mercados da commodity, que tocaram mínimas de 18 anos à medida que a pandemia de coronavírus impacta a demanda por combustível pelo mundo.

O petróleo Brent subia 0,87 dólar, ou 3,82%, a 23,63 dólares por barril, às 8:43 (horário de Brasília). O petróleo dos Estados Unidos avançava 1,48 dólar, ou 7,37%, a 21,57 dólares por barril.

Na segunda-feira, o Brent encerrou a 22,76 dólares, menor fechamento desde novembro de 2002, enquanto o petróleo WTI encerrou a 20,09 dólares, mínima desde fevereiro de 2002.

Os mercados de petróleo têm enfrentado um golpe duplo, com efeitos do coronavírus e de uma disputa por participação no mercado entre Arábia Saudita e Rússia, após a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e outros produtores terem falhado neste mês em alcançar um acordo para cortar produção e apoiar os preços da commodity.

Trump e Putin falaram por telefone e concordaram em colocar suas principais autoridades da área de energia para discutir a estabilização dos mercados de petróleo, disse o Kremlin na segunda-feira.

Após uma derrocada dos preços, com queda de cerca de 60% neste ano, um membro do órgão regulador do setor de petróleo no Estado norte-americano do Texas chegou pedir o estabelecimento de limites de produção, devido ao excesso de oferta.

A Arábia Saudita, na prática líder da Opep, pretende elevar suas exportações de petróleo para 10,6 milhões de barris por dia a partir de maio, devido ao menor consumo doméstico, disse um representante do ministério de Energia do país.

Mais Recentes da CNN