Preços do petróleo caem 8% com novas preocupações sobre demanda

Baixa acontece após aumento de casos de coronavírus pelo mundo e depois de os estoques da commodity no EUA terem atingido um recorde

Plataforma de petróleo no Brasil. Preços desabaram nesta quinta-feira, com renovadas preocupações do mercado 
Plataforma de petróleo no Brasil. Preços desabaram nesta quinta-feira, com renovadas preocupações do mercado  Foto: Reprodução/ Agência Brasil

Stephanie Kelly, da Reuters

Ouvir notícia

Os preços do petróleo derreteram cerca de 8% nesta quinta-feira (11), alimentados por novas preocupações sobre a destruição da demanda à medida que novos casos de coronavírus aumentam pelo mundo e após os estoques da commodity no EUA terem atingido um recorde.

Os futuros do petróleo Brent, referência internacional, encerraram em queda de US$ 3,18, ou 7,6%, a US$ 38,55 por barril. O petróleo nos EUA (WTI) caiu US$ 3,26, ou 8,2%, e fechou a US$ 36,34 por barril.

Esse foi o maior recuo diário para o Brent e o WTI desde 21 e 27 de abril, respectivamente.

Os casos de coronavírus nos EUA ultrapassaram 2 milhões nesta quarta-feira, segundo contagem da Reuters, com leve crescimento nas infecções após cinco semanas de queda.

E, embora a maior parte dos Estados norte-americanos tenha aliviado restrições à movimentação de pessoas que impactaram a demanda, o consumo de combustíveis segue 20% abaixo dos níveis normais, uma vez que consumidores seguem cautelosos.

Além disso, o Federal Reserve dos EUA expressou preocupação de que isso continue, limitando a demanda.

“Uma série de casos locais pode ter o efeito de minar a confiança das pessoas em viajar e ir a restaurantes e (opções de) entretenimento”, disse o chefe do Fed, Jerome Powell, na quarta-feira.

O petróleo tem subido nas últimas semanas após governos terem aliviado restrições associadas ao coronavírus, o que gerou otimismo de que a demanda por combustíveis pudesse se recuperar.

Mas os estoques nos EUA cresceram inesperadamente na semana passada, para um recorde de 538,1 milhões de barris, enquanto os estoques de gasolina também subiram mais que o esperado, para 258,7 milhões de barris.

“O retrato dos fundamentos ainda traz fatores baixistas para os quais o mercado estava fechando os olhos”, disse o diretor de pesquisa de mercado da Tradition Energy, Gene McGillian.

Clique aqui e siga a página do CNN Brasil Business no Facebook

Mais Recentes da CNN