Presidente do Fed diz que crise causada pela COVID-19 é a pior da história

Jerome Powell prevê um segundo trimestre com dados piores do que o primeiro, mas diz que algum alívio econômico pode acontecer a partir de julho

Do CNN Brasil Business*, em São Paulo

Ouvir notícia

 

 

Chaiman do Federal Reserve, Jerome Powell, chega para entrevista coletiva em Was
Chaiman do Federal Reserve, Jerome Powell, em entrevista coletiva em Washington (03.MAR.2020)
Foto: Kevin Lamarque/Reuters

A crise econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus é “a pior de todos os tempos”, avaliou nesta quarta-feira (29) o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), Jerome Powell. 
 
“Veremos dados econômicos referentes ao segundo trimestre piores que quaisquer outros já vistos”, afirmou Powell. “Existem consequências diretas da doença, e medidas estão sendo tomadas para nos proteger”, completou. 

As declarações, noticiadas pela CNN, foram feitas após a decisão do Fed de a manter taxa de juros perto de zero, nesta quarta.  

Segundo o presidente da autoridade monetária, a recuperação será longa e dolorosa, mas a economia poderá começar a reagir no terceiro trimestre, à medida em que as empresas reabrirem. Para Powell,  algum alívio econômico pode acontecer a partir de julho, embora o país ainda não volte aos níveis pré-coronavírus. 
 
“Vamos entrar na nova fase – e estamos apenas começando a fazer isso – em que medidas formais que exigem distanciamento social serão revertidas gradualmente e em ritmos e partes diferentes do país. Com o tempo, durante este período, a economia começará a se recuperar “, afirmou Powell.
 
O presidente do Fed também afirmou que o desemprego disparou de forma mais intensa entre grupos minoritários, como afroamericanos e latinos – muito mais rápido do que entre americanos brancos, por exemplo.
 
Há alguns meses, o mercado de trabalho dos EUA era o melhor de todos para esses grupos, considerados minoritários, disse Powell. Agora, completou, estão entre os primeiros a perder o emprego, já que foram fechados restaurantes, cinemas, varejistas e muitas outras empresas.

Nas últimas cinco semanas, 26,45 milhões de pessoas perderam o emprego no país devido à pandemia do coronavírus. “É comovente, francamente, ver que tudo está ameaçado agora”, afirmou Powell. 

*Com informações da CNN 

Mais Recentes da CNN