Presidente do STF reconhece papel dos bancos no combate à lavagem de dinheiro

Ministro Luiz Fux disse que vai sugerir a criação de varas criminais especializadas no tema

O ministro Luiz Fux disse que os bancos comunicaram 30% das operações suspeitas recebidas pelo Coaf
O ministro Luiz Fux disse que os bancos comunicaram 30% das operações suspeitas recebidas pelo Coaf Foto: Fellipe Sampaio /SCO/STF

Thaís Barcellos e Francisco Carlos de Assis,

do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, destacou nesta terça-feira (17) o compromisso de sua gestão com a prevenção e o combate à corrupção e à lavagem de dinheiro, que, por sua vez, está diretamente relacionado ao eixo de sua gestão de promover a estabilidade de ambiente de negócios. O ministro também afirmou que deve sugerir a criação de varas criminais especializadas nesses temas.

A declaração foi dada em discurso do ministro na abertura do 11º Congresso de Prevenção à Lavagem de Dinheiro e ao Financiamento do Terrorismo, organizado pela Febraban. O presidente do STF ainda reconheceu o papel dos bancos, e também do Banco Central e da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) no combate e na prevenção à lavagem de dinheiro.

Fux comentou que os bancos foram responsáveis por comunicar cerca de 30% das operações suspeitas recebidas pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) no último ano, 250 mil de um total de 820 mil notificações.

“Constato que os bancos desempenham papel fundamental nesse enfrentamento. Várias operações deflagradas pelos órgãos de repressão dos delitos financeiros tiveram sua origem em comunicações de operações suspeitas pelos bancos ao Coaf. Para ficarmos em um exemplo recente, destaco a própria operação Lava Jato“, afirmou o ministro.

Mais Recentes da CNN