Produtores do RS comemoram qualidade da uva ao fim da colheita

Mesmo com redução da safra, setor está otimista para produção de vinhos

Em 2020, a colheita da uva no estado foi considerada a safra das safras
Em 2020, a colheita da uva no estado foi considerada a safra das safras Getty Images/EyeEm

Bruna Ostermanda CNN

em Porto Alegre

Ouvir notícia

Os produtores de uva do Rio Grande do Sul encerraram a vindima, como é chamada a colheita da fruta, que ocorre de janeiro a março. O estado é o maior produtor, responsável por metade da produção brasileira.

De acordo com o Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural, a Emater-RS, a estiagem severa que atingiu o território gaúcho provocou quebra de 15% na safra de 2022, em comparação com a média de anos anteriores.

No entanto, a redução é ainda maior se comparada com 2021, quando houve recorde no volume da fruta: 23,4%
A vinícola Aurora, responsável pela maior fatia da produção gaúcha, cerca de 12%, teve uma redução ainda maior do volume: 27% em comparação com o ano passado.

Porém, quando o assunto é uva, quantidade não significa qualidade. O enólogo da Aurora Flavio Zilio considerou como excelente o grau glucométrico, que mede a quantidade de açúcar da uva. Segundo ele, todas as variedades tintas e brancas apresentaram nível de excelente de maturação.

“Seria injusto citar uma ou outra variedade como destaque, já que a qualidade de todas elas se apresentou de forma muito positiva. Nas tintas destaco a maturação fenólica que permitirá a extração de taninos em um nível muito bom para a elaboração de grandes vinhos”, adiantou.

O especialista destaca a ocorrência de duas safras de excelente qualidade na mesma década. Em 2020, a colheita da uva no estado foi considerada a safra das safras.

Na vinícola Miolo o destaque foram as variedades Chardonnay e Pinot Noir, que já estão sendo usadas para vinhos base de espumantes. Entre as tintas, Merlot e Cabernet Sauvignon também chamam a atenção.

A empresa encerrou a vindima no Vale dos Vinhedos com volume de 700 mil quilos da fruta, mas segue a colheita, no mês de abril, nos parreirais do Vale do São Francisco, na Bahia.

O otimismo sobre a qualidade da uva é de todo setor. Conforme levantamento da Miolo, o inverno da safra 2022 teve 343 horas de frio, com temperatura igual ou inferior a 7,2°C, suficiente para conseguir uma brotação uniforme das videiras.

O tempo foi um aliado. A primavera favoreceu a floração das plantas, com temperaturas amenas e o início da atuação do fenômenos La Niña, que impactou no verão. A estação mais quente do ano foi marcada por uma forte estiagem.

Os dias mais quentes e seco propiciaram a maturação uniforme das uvas. Combinações ideais para a fabricação de vinhos. O Rio Grande do Sul responde por 50% da produção da bebida no país.

Enoturismo

A época da vindima também é um momento de maior procura de turistas por passeios em vinícolas. Na Vinícola Aurora, o fluxo de visitantes voltou aos patamares pré-pandemia, ultrapassando os números de 2019.

Foram 44,8mil turistas nas três unidades da marca (Matriz, no centro de Bento Gonçalves, Vale dos Vinhedos, no interior da cidade, e em Pinto Bandeira).

Mais Recentes da CNN