Projeção do governo para o PIB pode estar defasada, indica Secretário do Tesouro

Segundo Mansueto Almeida, expectativa de crescimento de 0,02% para a economia em 2020 é de duas semanas atrás e número atualizado poderá vir negativo

Por conta de medidas de combate à epidemia do coronavírus, déficit primário deve ser de cerca de 4% do PIB em 2020, diz Mansueto Almeida
Por conta de medidas de combate à epidemia do coronavírus, déficit primário deve ser de cerca de 4% do PIB em 2020, diz Mansueto Almeida Foto: Adriano Machado/Reuters

Reuters

Ouvir notícia

O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, afirmou neste sábado (28), em transmissão ao vivo nas redes sociais promovida pelo BTG Pactual Digital, que a estimativa do Ministério da Economia para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do país neste ano, atualmente em 0,02%, pode estar defasada.

A nova estimativa havia sido apresentada pela equipe econômica no dia 20 deste mês, levando em consideração a deterioração das expectativas mediante a propagação do coronavírus ao redor do mundo, impactando os diferentes setores da economia mundial. Antes, a pasta calculava um avanço da economia doméstica em 2,1% neste ano.

“A questão do PIB está muito difícil estimar. Essa projeção de crescimento de 0% é uma projeção de duas semanas atrás, que está muito em linha com o que estava o mercado há duas, três semanas atrás. Essas projeções estão rodando toda semana, e toda semana ela muda. Então, possivelmente, em uma nova projeção, o PIB pode vir negativo, como está vindo de muitas instituições”, afirmou Mansueto.

De acordo com o secretário, o atual cenário econômico é “muito incerto”, em razão do “shutdown” aplicado ao setor de serviços, situação a qual não é recuperada posteriormente, afetando o crescimento econômico.

No entanto, ele ponderou que, a despeito de haver uma eventual estagnação do PIB ou contração neste ano, não haverá alteração da rota, no que diz respeito ao ajuste fiscal. “O que não pode é você criar despesa permanente que afeta a trajetória de gasto no próximo ano.”

Na quarta-feira, a agência de classificação de risco Moody’s reduziu a estimativa para o PIB do Brasil neste ano, passando a ver contração de 1,6%.

O secretário do Tesouro também informou que, em decorrência dos anúncios de medidas pelo governo federal para amenizar os efeitos da propagação do coronavírus no país, projeta-se um déficit primário, neste ano, “perto de 4% do PIB, entre 3% e 4% do PIB”. Segundo ele, esse percentual pode, eventualmente, ser maior.

“A gente tem que encarar essa situação e fazer reformas estruturais e retomar o ajuste fiscal no próximo ano.”

Entretanto, Mansueto alertou que o país não pode “exagerar na dosagem do remédio neste ano”, o que levaria a um comprometimento nas contas públicas ao longo dos próximos anos.

Mais Recentes da CNN