Quase 2 milhões tiveram jornada reduzida ou contrato suspenso desde abril

O programa foi relançado em abril deste ano pelo governo por mais quatro meses em 2021

Na nova regra, sistema de contribuição do INSS será progressivo
Na nova regra, sistema de contribuição do INSS será progressivo Foto: Tony Winston/Agência Brasília

Eduardo Rodrigues e Idiana Tomazelli, do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

 

O secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Bianco, destacou nesta quarta-feira que, até o momento, 1,876 milhão de trabalhadores entraram em acordos do novo Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda (BEm).

“Tivemos mais reduções de jornada do que suspensões de contratos. Isso mostra que as empresas estão retomando. O setor de serviços tem usado bastante o BEm, gerando empregos e também preservando vagas. Já a construção civil e a agropecuária quase não estão usando o novo Bem, o que demonstra que esses setores já estão em uma retomada mais significativa”, comentou.

 

De acordo com o ministério, 2,916 milhões de trabalhadores seguiam com garantia provisória do emprego em abril graças às adesões em 2020 ao Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda (Bem).

Para cada mês de suspensão ou redução de jornada no ano passado, o trabalhador tem o mesmo período de proteção à sua vaga.

O programa foi relançado em abril deste ano pelo governo por mais quatro meses em 2021.

O mercado de trabalho formal brasileiro registrou um saldo positivo 120.935 carteiras assinadas em abril, de acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). No acumulado dos quatro primeiros meses de 2021, ao saldo do Caged é positivo em 957.889 vagas.

Mais Recentes da CNN