Queda de criptomoedas assusta novos investidores enquanto outros dobram ganhos

Dogecoin voltou a subir acima de US$ 0,40 esta semana depois que a Coinbase anunciou o lançamento de negociações para usuários de seu serviço Pro

Por Julia Horowitz, da CNN Business

Ouvir notícia
Dogecoin
Dogecoin
Foto: Yuriko Nakao/Getty Images

Grant McGurn, de 27 anos, está muito feliz por ter atendido uma ligação do FaceTime com seu pai. O gerente de escritório em Madison, Wisconsin, nos Estados Unidos, colocou todos os seus investimentos em criptomoedas, incluindo bitcoin, ethereum e dogecoin, uma criptomoeda de meme cuja rápida ascensão ele considerou divertida, embora “ridícula”. Isso alarmou seu pai, um investidor experiente.

“Ele sabia que eu havia investido todo o meu dinheiro lá e estava tipo, ‘Já vi isso antes com o estouro da bolha das pontocom e não quero ver você perder milhares de dólares'”, disse McGurn à CNN Business.

Ele acatou o aviso e vendeu suas propriedades criptográficas no meio do mês passado, no momento em que uma massiva debandada estava ocorrendo. Muitas moedas digitais acabaram perdendo quase metade de seu valor, ou mais.

“Tive sorte”, disse McGurn. “Eu não acho que sou a norma.”

McGurn faz parte de uma legião de investidores que são novos em criptomoedas. Atraídos pelos enormes ganhos que começaram no final de 2020 ou pela empolgação em torno do dogecoin, eles entraram no mercado procurando ganhar algum dinheiro rápido ou evitar perder o próximo grande sucesso.

Agora, na esteira de sua primeira grande venda, alguns estão jurando parar de investir em criptografia para sempre, enquanto outros estão determinados a esperar, confiantes em sua promessa.

“Não quero entrar em pânico com algo em que acabei de me aventurar”, disse Akshaya Parthasarathy, 24, que mora em Chennai, Índia.

Nova moeda volátil

Depois de alguns anos sem brilho, o bitcoin decolou em dezembro passado, alcançando rapidamente uma série de recordes, à medida que os investimentos de risco disparavam após as eleições nos Estados Unidos.

 A mania se acelerou quando a Tesla (TSLA) anunciou que começaria a aceitar pagamentos de bitcoin por seus carros. Outras empresas importantes, incluindo Mastercard (MA) e BNY Mellon (BK), o banco mais antigo dos Estados Unidos, disseram que estão se expandindo para as criptomoedas, sinalizando uma crescente aceitação popular.

Investidores amadores perceberam – incluindo muitos que estavam em busca da próxima obsessão da internet depois de se interessar pelo GameStop (GME) no final de janeiro.

Nos primeiros três meses do ano, 9,5 milhões de pessoas negociaram criptomoedas no aplicativo Robinhood, popular entre os jovens investidores, ante 1,7 milhão no trimestre anterior. A plataforma de criptomoedas Coinbase relatou 6,1 milhões de usuários de varejo ativos no primeiro trimestre, mais que o dobro nos últimos três meses de 2020.

O clima só ficou mais frenético a partir daí. Dogecoin, uma criptomoeda inspirada por um meme da internet com um cachorro shiba inu, começou a subir vertiginosamente em abril, atingindo o ponto mais alto de quase 74 centavos no mês passado.

Isso atraiu ainda mais investidores especulativos, alguns dos quais fizeram apostas adicionais em spinoffs que não têm uso prático e são conhecidos na comunidade de criptomoedas como “shitcoins”.

Depois de ler histórias de sucesso online ou ouvi-las de amigos, os novos operadores “não queriam perder”, disse Lisa Kramer, professora de finanças da Universidade de Toronto que estuda o comportamento do investidor.

Então veio a queda. O mercado fez jus à sua reputação volátil, implodindo depois que o CEO da Tesla, Elon Musk, cuja torcida alimentou o aumento do dogecoin, tuitou que a Tesla vai parar de aceitar pagamentos de bitcoin devido a preocupações sobre o impacto ambiental de sua mineração. A liquidação resultante acabou eliminando mais de US$ 410 bilhões do valor de mercado do bitcoin e quase US$ 25 bilhões do dogecoin.

Mas alguns fãs de criptomoedas continuam devotos. Na verdade, pequenos investidores em bitcoin – definidos como aqueles que detêm entre US$ 37 e US$ 37.000 – aumentaram suas participações de quase 4,8% para mais de 5% da oferta total durante a recente liquidação, “sugerindo aumento de juros à medida que os preços [diminuíram]”, de acordo com dados do pesquisador Glassnode.

No fórum de mensagens da internet Reddit, os fiéis têm encorajado uns aos outros a “comprar o mergulho” para que possam travar ganhos futuros.

Alguns foram recompensados; dogecoin, que durante a recente liquidação caiu para US$ 0,22, voltou a subir acima de US$ 0,40 esta semana depois que a Coinbase anunciou o lançamento de negociações para usuários de seu serviço Pro, embora seu preço permaneça altamente instável.

Segundo Kramer, existe um termo na academia que pode ajudar a explicar esse fenômeno: o “efeito disposição”. A pesquisa mostra que os investidores sentem mais a dor associada às perdas do portfólio do que aos ganhos e tendem a se fixar no preço pelo qual compraram um ativo. Isso geralmente serve como um obstáculo para o descarregamento de investimentos insatisfatórios.

“Essa tendência de manter os títulos de baixo desempenho pode acabar custando ao investidor”, disse Kramer. “Os investidores muitas vezes tomam decisões com base no instinto, mas isso pode realmente desencaminhá-los.”

Bitcoin
Bitcoin
Foto: REUTERS/Dado Ruvic/Ilustração

 

‘Nunca mais’

Muitos investidores em criptomoedas dizem que ainda estão envolvidos porque acreditam na tecnologia. Parthasarathy, que recentemente deixou o emprego para fazer um mestrado em ciência de dados, costumava ser uma cripto cética, mas ficou intrigada com toda a ação em torno do dogecoin e começou a ler sobre online.

Ela acabou investindo uma pequena quantia em ethereum, bem como hedera hashgraph e polygon, dois tokens populares no fórum principal de criptomoedas do Reddit. Em pouco tempo, ela estava verificando o aplicativo WazirX usado para negociar criptomoedas na Índia “quase a cada cinco minutos”.

E embora Parthasarathy admita que as últimas semanas foram angustiantes, ela planeja continuar investindo.

“Estou vendo isso como uma coisa de longo prazo e vou continuar investindo mais dinheiro”, disse ela, acrescentando que investiu apenas o que estaria disposta a perder.

Rebecca Robinson, uma estudante de 28 anos de San Diego, na Califórnia, que trabalha meio período como cozinheira, perdeu algumas centenas de dólares depois que Musk fez o mercado despencar. Ela ainda está colocando 10% de seus contracheques em criptomoedas, incluindo ethereum e as moedas menores cardano e algorand.

“As pessoas tratam as criptomoedas como se fossem times esportivos”, disse ela. “Se você tem muitas pessoas que dizem, ‘Sim, nós acreditamos nesta moeda!’ eles não vão vender quando ele cair, e isso é legal. “

Mas ela não está mais dependendo da negociação de margem, que permite aos investidores tomarem fundos emprestados para que possam fazer apostas ainda maiores.

“Nunca mais”, disse Robinson. “É muito assustador.”

McGurn, que começou a negociar criptomoedas no final de 2020, também está pensando em investir de forma diferente após o recente colapso do mercado, embora tenha saído por pouco antes de perder dinheiro.

“Foi uma espécie de alerta para mim”, disse ele. “É bom ter um pouco em investimentos especulativos, mas não posso arriscar minha vida nisso.”

McGurn disse que agora está planejando estacionar seu dinheiro em ações da Apple (AAPL) ou Amazon (AMZN), que ele vê como escolhas “mais sólidas” – embora ele tenha recomprado uma moeda ethereum.

“É simplesmente estúpido”, disse ele. “Eu nunca vou ter tanto investido em criptomoeda novamente.”

Clique aqui para ler o texto original em inglês.

Mais Recentes da CNN