Queda do PIB no 2º trimestre indica cautela na economia

Fernando Nakagawa, diretor do CNN Brasil Business, a queda confirmou que a recuperação da economia do Brasil não acontece em “V’, como aponta a equipe econômica

Fernando Nakagawado CNN Brasil Business*

Em São Paulo

Ouvir notícia

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou, nesta quarta-feira (1º), que o PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro teve uma leve queda de 0,1% no segundo trimestre deste ano, na comparação com os três primeiros meses de 2021. O número indica cautela na economia.

Para Fernando Nakagawa, diretor do CNN Brasil Business, a queda confirmou que a recuperação da economia do Brasil não acontece em “V’, como menciona a equipe econômica.

“O que acontece é que as várias más notícias que damos todos os dias, começam a se refletir, e até mais forte do que o esperado pelos economistas”.

Na evolução, os números até apresentam uma recuperação nos terceiro e quarto trimestres de 2020. Mas acaba se acomodando no primeiro trimestre deste ano para cair agora no segundo.

Para ter uma recuperação em “V”, a economia brasileira teria que ter caído e subido rapidamente, o que não aconteceu.

Nakagawa detalhou ainda quais setores econômicos foram os mais afetados no segundo semestre, e quais tiveram uma recuperação maior.

“A agropecuária teve uma queda principalmente por causa do café, da seca e de geadas. Na indústria, faltam peças para o setor automotivo, que sofre duramente. O comércio cresceu 0,5%, por causa da reabertura das cidades, e a construção cresceu quase 3%, mas o juro em alta pode prejudicar o setor”, afirma Nakagawa.

Na comparação com os outros países, Brasil ficou atrás dos emergentes, como México, que registrou crescimento de 1,5%, China com 1,3% e Chile de 1%.

Mais Recentes da CNN