Reajuste da bandeira tarifária deve ficar apenas para próxima semana

O processo de reajuste não foi incluído na pauta da reunião ordinária que acontece nesta terça-feira (31) a pedido do governo

Para se preparar para eventuais cortes e reduzir a dependência da Rússia, países têm buscado novas ofertas de gás natural liquefeito, por embarque marítimo
Para se preparar para eventuais cortes e reduzir a dependência da Rússia, países têm buscado novas ofertas de gás natural liquefeito, por embarque marítimo Unsplash/Bran Sodre

Anna Russido CNN Brasil Business

em Brasília

Ouvir notícia

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) deve deixar para votar o reajuste da bandeira tarifária apenas na próxima semana, conforme fontes consultadas pela CNN. Assim, a correção, para cerca de R$ 14, deverá ser definida com efeitos retroativos a 1º de setembro.

Ainda de acordo com interlocutores junto ao Ministério de Minas e Energia e à Aneel, o processo de reajuste não foi incluído na pauta da reunião ordinária que acontece nesta terça-feira (31) a pedido do governo federal.

A Lei Geral das Agências Reguladoras Federais determina que somente poderá ser deliberada matéria que conste da pauta de reunião, divulgada obrigatoriamente pela agência na internet, com antecedência mínima de três dias úteis.

À CNN, o diretor-geral da Aneel, André Pepitone, afirmou que não há haverá reunião extraordinária da diretoria nesta semana para votar o tema. E a próxima reunião ordinária da diretoria está prevista para 8 de setembro.

Mais Recentes da CNN