Reforma fundamental é a que abre espaço no teto, diz Campos Neto

Segundo o presidente do Banco Central, é necessário informar os agentes do mercado financeiro que os problemas serão resolvidos sem qualquer rompimento teto

Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central: respeito ao teto acima de tudo
Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central: respeito ao teto acima de tudo Foto: CNN (24.ago.2020)

Gabriel Ponte e Marcela Ayres, da Reuters

Ouvir notícia

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou nesta quinta-feira que a reforma fundamental é a que abre espaço para despesas mantendo o respeito à regra do teto de gastos, defendendo novamente o mecanismo como âncora da política fiscal.

“O mais importante: qualquer notícia que passar informação para os agentes financeiros que nós temos a capacidade de resolver os nossos problemas sem ter nenhum tipo de atrito com o teto, isso vai criar uma estabilidade maior”, disse ele.

Leia também:
Reforma administrativa prevê demissão de servidor por desempenho insuficiente
Mourão: ‘Proposta de reforma administrativa alinha e enxuga carreiras de estado’

Nesse sentido, ele afirmou em live com o empresário Abilio Diniz que “a reforma fundamental é uma reforma que abre espaço no teto”, com a proposta que está na mesa para desindexar, desvincular e desobrigar o Orçamento indo justamente nessa direção.

“Se isso acontecer, se a gente conseguir avançar com isso, o mercado vai entender que existe espaço para os projetos e ao mesmo tempo vai proporcionar que esses projetos sejam executados com a viabilidade do teto”, acrescentou.

Mudança no open banking?

O Banco Central mudará o nome do seu projeto de open banking para open finance, uma vez que o sistema abarcará todos os produtos financeiros, afirmou nesta quinta-feira o presidente da autarquia, Roberto Campos Neto.

Em live com o empresário Abilio Diniz, Campos Neto disse ainda que o open banking do Brasil será o mais amplo do mundo, em referência ao sistema que dará aos clientes de instituições financeiras o poder sobre seus dados cadastrais e de transações, como meio de abrir o acesso a serviços mais baratos e melhores.

O modelo começará a funcionar no fim deste ano e integra a agenda institucional do BC para melhoria de competitividade no sistema financeiro.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

Mais Recentes da CNN