Reino Unido investiga Apple e Google por supostamente controlarem uso de telefone

“Receamos que isso esteja causando prejuízos a milhões de pessoas em todo o Reino Unido", disse o presidente da autoridade de concorrência do país

Gigantes Google e Apple estão no centro de investigações no Reino Unido por supostas práticas de controle do mercado
Gigantes Google e Apple estão no centro de investigações no Reino Unido por supostas práticas de controle do mercado 12/4/2020 REUTERS/Dado Ruvic/Illustration

Paul SandleKate Holtonda Reuters

Ouvir notícia

Google e Apple controlam como as pessoas usam telefones celulares, eliminando qualquer escolha significativa do sistema e potencialmente aumentando os custos, disse o regulador de concorrência da Grã-Bretanha nesta terça-feira (14).

A Autoridade de Concorrência e Mercados (CMA, na sigla em ingês) disse que descobriu que as duas companhias foram capazes de alavancar seu poder de mercado ao criar ecossistemas autossuficientes, que dificultam a migração do cliente para outro sistema operacional.

O regulador disse que avaliaria suas descobertas iniciais e que buscaria respostas até 7 de fevereiro do ano que vem, com expectativa de emitir um relatório final em junho.

A autoridade britânica diz que as duas empresas desenvolveram sistemas semelhantes que permitem “controlar como usamos os telefones celulares”.

“Receamos que isso esteja causando prejuízos a milhões de pessoas em todo o Reino Unido”, disse o presidente-executivo da CMA, Andrea Coscelli.

Chris Philp, o ministro de tecnologia e economia digital, disse que o “novo regime pró-concorrência” da Grã-Bretanha nivelaria a concorrência entre os gigantes da tecnologia e as pequenas empresas.

A Apple diz que seus ecossistemas fornecem segurança e privacidade, permitindo que as empresas vendam produtos e criem empregos. “A Apple acredita em mercados prósperos e dinâmicos onde a inovação pode florescer”, disse a empresa americana.

O Google afirmou que o Android oferece às pessoas mais opções do que qualquer plataforma móvel para decidir quais aplicativos e lojas de aplicativos usarão.

A empresa, que pertence à Alphabet, acrescentou que seu ecossistema sustentou quase 250 mil empregos na Grã-Bretanha e, como resultado das mudanças recentes, 99% dos desenvolvedores se qualificaram para uma taxa de serviço de 15% ou menos.

O relatório do CMA apresentou uma série de opções, incluindo tornar mais fácil para os usuários alternar entre os telefones iOS da Apple e Android do Google sem perder funcionalidade ou dados.

O órgão está analisando se os usuários podem instalar aplicativos por métodos diferentes da App Store da Apple ou da Play Store do Google.

Mais Recentes da CNN