Relatório não é o que quero, é o possível, diz relator da PEC emergencial

"Nós vamos ter brasileiros que vão pressionar parlamentares e executivos porque vão continuar precisando", avaliou o senador Marcio Bittar (MDB-AC)

da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Desde o início da pandemia do novo coronavírus tem se ouvido falar muito em um programa de renda mínima a partir de janeiro do próximo ano, quando acaba o auxílio emergencial. Mas esse projeto não surgiu.

Em entrevista à CNN, o senador Marcio Bittar (MDB-AC), relator da PEC Emergencial – que não prevê o novo programa social – e do Pacto Federativo, afirmou que, para ele, isso não é uma boa notícia.

“Eu tenho que me acostumar, é um pouco difícil às vezes, que o relatório não é o que eu quero, é o que é possível”, disse.

“Nós vamos ter brasileiros que vão pressionar parlamentares e executivos porque vão continuar precisando. Então, acho que esse problema vai persistir. Em fevereiro, na minha opinião, ele vai continuar à mesa”, avaliou. 

“De qualquer maneira, o Brasil tem duas grandes demandas: o Renda Brasil, para atender essas pessoas, e a retomada da agenda econômica, que foi um pouco paralisada.”

Assista e leia também:

Dólar pode variar de R$ 4,60 a R$ 6,70 em 2021 de acordo com reformas, diz banco

PEC Emergencial é prioridade, diz economista-chefe do Santander

Senador Marcio Bittar (MDB-AC) (08.dec.2020)
Senador Marcio Bittar (MDB-AC) (08.dec.2020)
Foto: CNN Brasil

 

(Publicado por Sinara Peixoto)

Mais Recentes da CNN