Reservatórios do subsistema Sul deixam de perder água e sobem 4% em setembro

Sistema Interligado Nacional (SIN) opera com armazenamento de 25,9%, puxado para baixo em especial pelo subsistema Sudeste/Centro-Oeste

Subsistema Nordeste também vem registrando queda no armazenamento de água nas hidrelétricas
Subsistema Nordeste também vem registrando queda no armazenamento de água nas hidrelétricas REUTERS/Paulo Whitaker

Denise Luna, do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

O nível de água dos reservatórios das hidrelétricas do subsistema Sul do país deixaram de cair nos últimos três dias, acumulando alta de 4% no mês, uma boa notícia para o estressado sistema elétrico brasileiro, mas ainda longe de resolver a crise energética. Na segunda-feira (21) esse subsistema operava com 31,6% de armazenamento de água, contra 27,2% no início de setembro.

Em média, o Sistema Interligado Nacional (SIN) opera com armazenamento de 25,9%, puxado para baixo principalmente pelo subsistema Sudeste/Centro-Oeste, que na segunda-feira (20) estava apenas 18% cheio.

No mês, a queda desse subsistema é de 3,3% até ontem, mas a previsão do Operador Nacional do Sistema (ONS) é de que chegue a 14,9% no fim de setembro.

Apesar de apresentar o maior volume de armazenagem, o subsistema Norte, onde estão grandes hidrelétricas como Belo Monte e as usinas do rio Madeira (Jirau e Santo Antônio), com 64,4% de armazenagem, não estão produzindo muita energia por serem usinas a fio d’água, ou seja, não acumulam água e produzem energia de acordo com a afluência dos rios.

As chuvas na região começam a se reduzir nessa época, e a armazenagem dos reservatórios registra queda de 5,9% no mês.

O subsistema Nordeste também vem registrando queda no armazenamento de água nas hidrelétricas, com queda de 5,4% no mês e armazenagem de 43,8%.

Mais Recentes da CNN