Rússia vai cooperar com os EUA contra hackers, diz chefe de segurança

Alexander Bortnikov disse que a agência de segurança seguirá acordos firmados por Vladimir Putin e Joe Biden

Alexander Bortnikov, chefe de agência de segurança russa, em Moscou
Alexander Bortnikov, chefe de agência de segurança russa, em Moscou Foto: Pavel Golovkin/Pool via REUTERS

Por Maria Kiselyova e Tom Balmforth,

da Reuters

Ouvir notícia

A Rússia trabalhará com os Estados Unidos para localizar criminosos cibernéticos, disse o chefe do serviço de segurança russo nesta quarta-feira (23) uma semana depois de os presidentes dos países concordarem em aumentar a cooperação em certas áreas.

Alexander Bortnikov disse que a agência de segurança seguirá acordos firmados por Vladimir Putin e Joe Biden durante conversas sobre questões de segurança cibernética ocorridas durante uma cúpula da semana passada na Suíça, seu primeiro encontro cara a cara desde que Biden tomou posse em janeiro.

“Trabalharemos juntos (para localizar hackers) e esperamos reciprocidade”, disse Bortnikov em uma conferência de segurança em Moscou, segundo a agência de notícias RIA.

Outra autoridade de alto escalão disse que Moscou está esperando uma resposta de Washington sobre consultas a respeito de questões de segurança cibernética, relatou a agência de notícias Tass.

Na cúpula, Biden disse a Putin que parte da infraestrutura crítica deve estar “fora do alcance” de ataques virtuais depois que criminosos cibernéticos em busca de resgate provocaram o fechamento temporário de uma grande rede de oleodutos dos EUA, interrompendo o fornecimento de combustível e provocando uma corrida aos postos de abastecimento.

Em alguns casos de ataques cibernéticos, os EUA acusam os responsáveis de trabalharem diretamente para o governo russo ou do território russo. O Kremlin nega qualquer envolvimento estatal nas ações.

Mais Recentes da CNN