Saldo de vagas formais é positivo, mas retomada deve demorar, diz economista

À CNN Rádio, Fernando Holanda Barbosa Filho avalia que dados do Caged demonstram melhora da situação, mas a pandemia ainda preocupa

Queda maior da taxa de desemprego ainda deve demorar, diz economista
Queda maior da taxa de desemprego ainda deve demorar, diz economista REUTERS/Amanda Perobelli

Amanda Garciada CNN

Ouvir notícia

Em entrevista à CNN Rádio, o pesquisador sênior do FGV IBRE, Fernando Holanda Barbosa Filho, avalia que a criação de 316.580 vagas de emprego formal em julho, segundo dados do Caged, é “positivo”. No ano, o saldo acumulado é de 1,848 milhão de postos.

O economista disse que, apesar dos números mostrarem “uma melhora da situação já ocorrendo no emprego em alguns setores que dependem muito da situação da pandemia, como serviços e comércio”, uma retomada aguda ainda depende de como a doença “vai progredir nos próximos meses”.

“A economia formal vem se recuperando bem, mas o emprego ainda está sofrendo porque depende da volta do contato no dia a dia, atividades que geram mais empregos são intensivas ao contato humano, mais ainda está demorando a se recuperar”, completou.

Segundo Fernando Holanda, embora os números indiquem recuperação, “vai demorar para atingir o patamar de pessoas ocupadas pré-crise”, isso porque quem desistiu de procurar emprego não está contemplado na pesquisa e, uma vez que tente retornar ao mercado de trabalho, voltará a contar como desempregado, aumentando a taxa”.

“Uma parte da recuperação está voltando, tanto formal, quanto informal, mas vai demorar para uma taxa de desemprego mais baixa justamente porque os desalentados ainda vão voltar, as pessoas voltam gradativamente”, concluiu.

Mais Recentes da CNN