Sem reforma tributária, não vão investir no Brasil, diz vice-presidente da Fiesp

Custo Brasil consome das empresas R$ 1,5 trilhão a mais que a média dos países da OCDE

da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Um estudo feito pela Consultoria Boston Consulting Group, a pedido do Movimento Brasil Competitivo, conseguiu medir o Custo Brasil, que consome das empresas R$ 1,5 trilhão a mais que a média dos países da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico).

Em entrevista à CNN, o vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), José Ricardo Roriz Coelho, reconheceu o atraso do Brasil.

“Isso mostra a dificuldade de competirmos com outros países em exportações e comércio internacional. Para 2021 nós já teríamos vários problemas. Agora, os problemas diante da pandemia não foram solucionados e temos vários outros que vieram por causa dela”, afirmou.

Assista e leia também:

OCDE: PIB cresce 9% no 3º tri, mas está abaixo do nível anterior à pandemia

Bolsonaro encaminha ao Congresso texto para criar escritório da OCDE no Brasil

Segundo ele, além da produção custar R$ 1,5 trilhão a mais que outros países dificultar nossa competitividade, sem uma reforma tributária teremos ainda mais dificuldade em trazer investimento.

“A reforma tributária é fundamental. Sem uma reforma tributária, que há mais de 30 anos discutimos, você não vai trazer investimento. Quem vai investir no Brasil, que não sabe nem qual regime tributário vai prevalecer nos próximos anos?”, questionou. 

“Atualmente nem as empresas que estão no Brasil tem uma dificuldade enorme para conhecer o sistema tributário brasileiro.”

 

(Publicado por Sinara Peixoto)

 

 

Mais Recentes da CNN