Setor de serviços é ponto fundamental para retomada da indústria, diz economista

À CNN Rádio, Mauro Rochlin disse que problemas na cadeia produtiva ainda vão acontecer

Será permitida a abertura de lojas de calçados, roupas, serviços de corte e costura, além de lojas de extintores
Será permitida a abertura de lojas de calçados, roupas, serviços de corte e costura, além de lojas de extintores Foto: Renato Araújo/Agência Brasília

Ouvir notícia

Na avaliação do economista da FGV, Mauro Rochlin, a retomada plena da indústria depende de o setor de serviços voltar em sua totalidade.

Em entrevista à CNN Rádio nesta quinta-feira (9) o especialista disse que “a situação inédita”, causada pela pandemia da Covid-19, pela qual a indústria passa torna difícil de prever quando ela voltará a operar em níveis mais robustos.

“O setor mais impactado foi o de serviços, não a indústria que, bem ou mal, apesar de todas as dificuldades, conseguiu se recuperar mais rapidamente”, analisou.

Segundo ele, “para ter uma retomada mais plena e falar de funcionamento normal”, o setor de serviços “precisa operar a pleno vapor, e, para isso, precisa ter imunização contra a Covid-19, segurança para voltar a viajar, buscar hotéis, fazer turismo, restaurantes, bares, o setor de serviços tem que funcionar a plena carga.”

O economista afirmou que “problemas localizados nas cadeias produtivas” vão acontecer, “mas entendo que é o setor de serviços que será decisivo para as economias funcionarem.”

Mais Recentes da CNN