Setor público consolidado tem superávit de R$ 35,39 bi em outubro

Dívida bruta do país ficou em 82,9% do PIB em outubro, mesmo patamar de setembro; dados foram divulgados pelo Banco Central nesta terça-feira (30)

Lei de Diretrizes Orçamentárias estabeleceu uma meta fiscal de déficit de R$ 170,5 bilhões para este ano
Lei de Diretrizes Orçamentárias estabeleceu uma meta fiscal de déficit de R$ 170,5 bilhões para este ano Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

O setor público consolidado brasileiro registrou superávit primário — resultado positivo das receitas e despesas do governo, excetuando gastos com pagamento de juros — de R$ 35,399 bilhões em outubro.

No acumulado dos 12 meses, o déficit primário caiu a 0,24% do Produto Interno Bruto (PIB), informou o Banco Central nesta terça-feira.

Em pesquisa Reuters, a expectativa era de superávit primário de R$ 34,15 bilhões no mês.

A dívida bruta do país ficou em 82,9% do PIB em outubro, mesmo patamar de setembro.

Já a dívida líquida caiu a 57,6% do PIB, de 58,5% no mês anterior.

Déficit nominal

O setor público consolidado registrou um déficit nominal de R$ 25,014 bilhões em outubro, conforme o Banco Central.

Em setembro o resultado nominal havia sido deficitário em R$ 42,018 bilhões e, em outubro de 2020, houve rombo de R$ 30,924 bilhões.

No mês passado, o Governo Central (Tesouro Nacional, Banco Central e INSS) registrou déficit nominal de R$ 27,866 bilhões.

Os governos regionais (Estados e municípios) tiveram saldo positivo de R$ 3,653 bilhões, enquanto as empresas estatais registraram déficit nominal de R$ 801 milhões.

O resultado nominal representa a diferença entre receitas e despesas do setor público, já após o pagamento dos juros da dívida pública.

No ano até outubro, o déficit nominal somou R$ 302,807 bilhões, o que equivale a 4,26% do Produto Interno Bruto (PIB). Em 12 meses até outubro, há déficit nominal de R$ 398,738 bilhões, ou 4,72% do PIB.

Gasto com juros

O setor público consolidado teve um resultado negativo de R$ 60,413 bilhões com juros em outubro, após esta rubrica ter encerrado setembro com um gasto de R$ 54,952 bilhões, informou o Banco Central.

Conforme o BC, o Governo Central teve no mês passado despesas na conta de juros de R$ 56,908 bilhões. Os governos regionais registraram gastos de R$ 2,968 bilhões e as empresas estatais, despesas de R$ 537 milhões.

No ano até outubro, o gasto com juros somou US$ 352,377 bilhões, o que representa 4,96% do PIB. Em 12 meses até outubro, as despesas com juros atingiram R$ 378,331 bilhões (4,48% do PIB).

*Com Reuters

Mais Recentes da CNN