RJ: Shoppings funcionarão 24h para evitar aglomeração nas festas de fim de ano

Metrô só funcionará até às 20 horas no dia 31 de dezembro para evitar a ida da população e turistas para as praias

O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, e o governador em exercício, Claudio Castro
O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, e o governador em exercício, Claudio Castro Foto: Paula Martini/CNN

Paula Martini, da CNN, no Rio

Ouvir notícia

O governador em exercício, Cláudio Castro, e o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, anunciaram que os shoppings e centros comerciais do Rio de Janeiro vão estar abertos por 24 horas para evitar aglomerações durante as festas de fim de ano.

“Apelo que se faz à cadeia produtiva e à população para que a gente não tenha que tomar medidas mais duras. Uma coisa que eu e o governador concordamos é que, para evitar aglomeração nos meios de transportes, os centros comerciais e shoppings serão autorizados a funcionar 24h por dia. As pessoas não precisam correr, nem ter pressa, porque não vai fechar. Poderão ir a qualquer hora do dia”, disse Crivella.

Leia também:
RJ atinge maior taxa de mortalidade por Covid-19 desde o começo da pandemia
Exclusivo: 77% querem vacinação obrigatória no Brasil, diz estudo

A prefeitura também recuou sobre a volta das aulas presenciais nas escolas municipais, autorizada há duas semanas. A suspensão das atividades foi uma das recomendações feitas pelo Comitê Científico da Prefeitura.

“Gostaria de fazer apelo ao setor produtivo: a pandemia não foi embora. Tivemos um ano difícil, em que muitos não conseguiram trabalhar, erros do poder público, erros de avaliação. Erramos, todos erramos, por ser uma doença nova. Precisamos que shoppings, mercados, restaurantes, meios de transportes, temos que assumir responsabilidades. Temos que fazer distanciamento, álcool em gel. É clamor que faço as empresas, que cuide de seus funcionários e das empresas em geral”, disse o governador.

Metrô

Castro afirmou que o metrô funcionará até às 20h no Réveillon para evitar o deslocamento de pessoas para a praia. Para o governador, é preciso investir em fiscalização. Ele disse que será usado o efetivo do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar naquilo que “for possível”, pois há limitações. 

Em publicação no Diário Oficial do Município, o comitê científico deu várias recomendações ao prefeito, como o fechamento das praias, restrição no horário de bares e restaurantes, fechamos de áreas comuns em condomínios, porém Crivella não tem obrigação de acatá-las. O prefeito avisou que não fechará o acesso às praias na capital fluminense, apenas pediu que as pessoas não frequentem o local e os ambulantes usem máscaras em álcool em gel.

O secretário estadual de Saúde, Carlos Alberto Chaves, e a secretária municipal, Beatriz Busch, afirmaram que o estado terá 386 leitos e a prefeitura 220 nos próximos dias. 

Testagem

Chaves admitiu problemas com o primeiro dia de uso do aplicativo “Dados do Bem”, no qual é possível fazer o agendamento para o teste RT-PCR em unidades nós municípios de São Gonçalo e Volta Redonda. A capacidade é de atendimento diário de 1.500 pessoas, mas a reportagem da CNN encontrou pouco mais de 30 pessoas na manhã desta sexta em um dos postos em São Gonçalo. Para mitigar os defeitos técnicos e a baixa procura, a Secretaria vai permitir o agendamento presencial.

O governo poderá fazer um aporte de até R$ 600 milhões para compra de vacinas, mas adianta que precisará de recursos do governo federal para fazer parte do Plano Nacional de Imunização. Castro se disse disposto a comprar qualquer vacina aprovada pela Anvisa, contato que receba o aval da equipe da Secretaria de Saúde. O trabalho começará, segundo Governador, por profissionais de saúde, idosos e pessoas com comorbidades

Mais Recentes da CNN