Mercado Livre aposta na logística e na variedade para triunfar na Black Friday

A varejista, que é uma das maiores empresas América Latina, espera que o volume de vendas nesta semana seja maior que o dobro do volume observado no ano passado

<strong>Centro de distribuição do Mercado Livre em Cajamar na Grande São Paulo</strong>
<strong>Centro de distribuição do Mercado Livre em Cajamar na Grande São Paulo</strong> Foto: Divulgação

Leonardo Guimarães,

do CNN Brasil Business, em São Paulo

Ouvir notícia

O Mercado Livre deve ter a maior Black Friday de sua história. A empresa aproveita o momento favorável ao e-commerce e investe muito em logística. Adicione um sortimento de 305 milhões de produtos à receita e o resultado será um crescimento de três dígitos – pelo menos é o que a empresa espera. 

Segunda a companhia, essa quantidade de produtos (que poderia ser considerada absurda há um ano) pode chegar a casa dos consumidores dentro de 24 horas em 70% dos casos.

Leia também:
Os planos do Mercado Livre para ter a maior Black Friday de sua história
Black Friday: redes de varejo preparam lives com Anitta e Felipe Neto

Por isso, a varejista, que é uma das empresas mais valiosas da América Latina, espera que o volume de vendas nesta semana seja maior do que o dobro do observado no ano passado. 

Fernando Yunes, vice-presidente sênior do Mercado Livre no Brasil, disse, em entrevista ao CNN Business, que o Mercado Livre vai atender à demanda “sem problemas” e que o planejamento contempla um volume ainda maior que o esperado. Confira: 

Qual é a expectativa para essa Black Friday? 

Acreditamos em um crescimento de 6% a 7% na Black Friday brasileira como um todo (online e offline) na comparação com o ano passado. Para o e-commerce, enxergamos crescimento entre 60% e 65%. 

O Mercado Livre vem ganhando participação de mercado, então estamos projetando um crescimento de 100% a 105% em novembro na comparação com 2019. Na Black Friday também queremos crescer na casa dos três dígitos. É o desafio que a gente colocou. 

Será possível atender a todos os pedidos sem problemas, já que a demanda deve aumentar significativamente?

Vamos atender todos os pedidos sem problemas. Planejamos a capacidade para um volume muito grande, até maior do que esse desafio que nos colocamos. 

Lançamos um centro novo de distribuição há 42 dias, aqui em Cajamar (região metropolitana de São Paulo). Lançamos um CD na Bahia recentemente. 

Criamos a Meli Air com quatro aeronaves 100% dedicadas, sete dias por semana, transportando os pacotes para todas as regiões do Brasil. 

Imaginamos que o volume será muito grande, porque nesse momento de pandemia que a gente está vivendo, as pessoas não estarão dispostas a tomar risco e entrarem aglomerações.

Isso é um fator que deve fazer com que o e-commerce cresça ainda mais. Por isso, os nossos investimentos foram bem agressivos para preparar toda a logística para atender os brasileiros, tanto os vendedores como os consumidores. 

Como vocês pretendem se diferenciar da concorrência?

A principal diferença é sortimento do Mercado Livre. Lá o cliente encontra tudo o que quiser. Nossa plataforma tem 305 milhões de produtos. Nosso sortimento é seis vezes maior que a soma dos dois concorrentes mais próximos da empresa. 

O segundo ponto é o prazo de entrega mais rápido do Brasil. Vamos entregar 70% dos produtos em um dia e 80% em até dois dias. Temos visto a quantidade de pessoas se surpreendendo com o recebimento no dia seguinte. 

A usabilidade também nos diferencia. Navegar no site e aplicativo do Mercado Livre é bem mais agradável e intuitivo. Tudo isso é fruto de um trabalho de 21 anos. 

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

Mais Recentes da CNN