S&P muda de positiva para estável perspectiva da nota de bancos do país

15 instituições financeiras tiveram a perspectiva da nota de crédito revisado, entre elas os cinco maiores bancos do país e a B3, que opera a bolsa brasileira

BNDES foi um dos bancos que tiveram a perspectiva da nota alterada. Para S&P, eles têm grande exposição ao risco Brasil
BNDES foi um dos bancos que tiveram a perspectiva da nota alterada. Para S&P, eles têm grande exposição ao risco Brasil Foto: Sérgio Moraes/Reuters

Do CNN Business*

Ouvir notícia

A S&P revisou de positiva para estável a perspectiva da nota de crédito de 15 instituições financeiras do Basil, incluindo a do BNDES, dos cinco maiores bancos de varejo do país e da operadora da bolsa de valores, informou a gência de classificação de risco nesta terça-feira (7). Os ratings de longo e curto prazos das companhias foram reafirmados.

Na véspera, a S&P tinha divulgado revisão idêntica da perspectiva para o rating soberano brasileiro.

As instituições que sofreram alteração na perspectiva são: Banco ABC Brasil, Bradesco, Citibank, Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Banco Safra, Santander Brasil, Banco BV, B3, Caixa Econômica Federal, China Construction Bank (Brasil) Banco Múltiplo, Itaú Unibanco Holding, Itaú Unibanco, e Haitong Banco de Investimento do Brasil.

A agência diz que a ação reflete a visão de que o crescimento e o desempenho fiscal do Brasil sofram em 2020 por causa da pandemia de coronavírus e dos gastos extraordinários do governo, antes de uma recomeçar uma recuperação gradual e uma consolidação fiscal.

A agência afirma que as 15 instituições têm grande exposição ao risco do Brasil. “Além disso, muitos dos mesmos fatores que causam estresse no soberano em geral também afetam as instituições financeiras”, comenta.

Com Estadão Conteúdo

Mais Recentes da CNN