Tesla consome mais lítio do que quatro fabricantes de carros elétricos juntas

Em 2020, a montadora de Elon Musk colocou em circulação 18.700 toneladas de lítio nas ruas e estradas com seus novos veículos, segundo Adamas Intelligence

Foto: Reuters/Brendan McDermid

Tamires Vitorio, do CNN Brasil Business, em São Paulo

Ouvir notícia

 

A fabricante de veículos elétricos Tesla consumiu mais lítio do que a BYD, a Volkswagen, a Renault e Audi juntas, segundo um estudo da consultoria Adamas Intelligence.

Em 2020, a companhia de Elon Musk colocou em circulação 18.700 toneladas de lítio nas ruas e estradas com seus novos veículos — sendo que 67% do consumo do elemento químico ocorreu por conta do Model 3, 3,17% pelo Model Y e outros 16% pelo Model S e o Model X juntos. 

As Américas responderam por 47% do consumo de lítio da Tesla, enquanto a região da Ásia-Pacífico foi responsável por 34%, a Europa por 19% e o restante do mundo por menos de 1%. 

Segundo a Adamas, durante os primeiros trimestres do ano passado, 100% do consumo do elemento químico da Tesla foi na forma de hidróxido de lítio. Mas, com o lançamento do Model 3, fabricado na China com baterias LFP, o consumo caiu para 84% no quarto trimestre de 2020.

Ao mesmo tempo em que a Tesla consumiu mais lítio, ela também foi a fabricante que mais vendeu veículos elétricos em 2020. Até o final de abril deste ano, a Tesla vendeu 184.800 veículos, com um lucro de US$ 438 milhões. 

Em 2019, uma pesquisa da Universidade de Birmingham, no Reino Unido, estimou que as baterias de lítio descartadas podem criar uma “enorme montanha de resíduos” e que a tecnologia usada para reciclá-las não consegue acompanhar o ritmo de produção de veículos elétricos, mesmo sendo considerados uma opção mais sustentável. 

Mais Recentes da CNN