Tesouro: dívida pública avança 0,85% e soma R$ 5,242 tri em março

A expectativa da equipe econômica é que a dívida pública termine o ano de 2021 entre R$ 5,6 trilhões e R$ 5,9 trilhões

Foto: Anton Petrus / Getty Images

Anna Russi, do CNN Brasil Business, em Brasília

Ouvir notícia

 

Com avanço de 0,85%, a Dívida Pública Federal (DPF) do Brasil atingiu R$ 5,242 trilhões. Até fevereiro, a DPF somava R$ 5,198 trilhões. 

Os dados foram divulgados pelo Secretaria do Tesouro Nacional nesta quarta-feira (28). A DPF, que inclui o endividamento interno e externo do governo federal, é a emissão de títulos públicos pelo Tesouro Nacional para financiar o déficit orçamentário do governo federal, que arrecada menos do que gasta.

A alta é resultado de uma emissão de títulos públicos “acima da média dos últimos 12 meses para suprir a necessidade de financiamento do governo federal e manter o caixa acima do limite prudencial”.

Enquanto as emissões totalizaram R$ 164,770 bilhões, os resgates de papéis somaram R$ 163,534 bilhões. Já os custos com juros alcançaram, sozinhos, de R$ 42,764 bilhões em março. 

O fato de as emissões terem superados os regates indica que o Tesouro está pegando mais recursos emprestados com o mercado financeiro para pagar os gastos extras com o combate à pandemia. A emissão de títulos públicos é usada para cobrir o rombo das contas públicas e o alto volume de empréstimo contribui para que o nível de estoque da dívida aumente. 

A expectativa da equipe econômica é que a dívida pública termine o ano de 2021 entre R$ 5,6 trilhões e R$ 5,9 trilhões. Em 2020, a DPF registrou crescimento recorde por causa do aumento de gastos com a pandemia, alcançando, pela primeira vez, o patamar dos R$ 5 trilhões.

Mais Recentes da CNN