TikTok abre ação contra governo Trump para tentar escapar da proibição nos EUA

Departamento de Comércio dos EUA anunciou que, a partir de domingo, os norte-americanos estarão proibidos de fazer download do app

Ouvir notícia

O popular aplicativo TikTok pediu a um juiz dos Estados Unidos que impeça o governo de Donald Trump de forçar a proibição da rede social chinesa no país, segundo documentos judiciais protocolados nessa sexta-feira (18).

O TikTok e sua dona, a empresa ByteDance Ltd., entraram com uma ação em um tribunal federal de Washington desafiando a recente proibição determinada pelo governo norte-americano.

O Departamento de Comércio dos EUA anunciou a medida mais cedo nessa sexta, impedindo os norte-americanos de fazerem o download dos aplicativos chineses TikTok e WeChat, a partir deste domingo (20).

Assista e leia também:
ByteDance planeja IPO do TikTok nos EUA, se americanos aprovarem acordo
China precisa aprovar acordo do TikTok com a Oracle nos EUA, diz ByteDance
Versão do TikTok para o mercado chinês salta 50% em usuários diários em 2020

A proibição foi introduzida por razões políticas, alegaram o TikTok e da ByteDance na ação. O app também afirmou que a medida viola os direitos da companhia previstos na Primeira Emenda da Constituição dos EUA.

Trump, que está em uma espécie de “Guerra Fria” com Pequim, emitiu uma ordem executiva no dia 6 de agosto proibindo transações nos EUA com as donas dos apps WeChat e TikTok.

ByteDance e TikTok estão em busca de um julgamento “declaratório” e uma liminar “invalidando e proibindo preliminar e permanentemente as proibições e a ordem de 6 de agosto”, de acordo com a ação.

A Casa Branca ainda não respondeu aos pedidos por comentários.

O TikTok, que tem mais de 100 milhões de usuários nos EUA, disse que a proibição causaria “danos irreversíveis” ao negócio da empresa no país.

Mais Recentes da CNN