TIM começa a receber propostas para aquisição de usinas com fontes renováveis

A operadora busca plantas de menor capacidade, mas que, combinadas, abastecerão aproximadamente 7 mil antenas e lojas em 11 estados

Foto: Stefano Rellandini/Reuters

Beth Moreira, do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

 

A TIM informou nesta quarta-feira (5) que está recebendo propostas para adquirir usinas de fontes renováveis em todo o País. A operadora busca plantas de menor capacidade, mas que, combinadas, abastecerão aproximadamente 7 mil antenas e lojas em 11 estados com 14GWh por mês.

A iniciativa, explica a companhia, está dentro de um amplo projeto de iniciativas voltadas para geração distribuída de energia. A empresa não informou o orçamento previsto para as aquisições. Em nota, Bruno Gentil, Chief Business Support Officer da TIM, explica que a solicitação de cotação é voltada para empresas que trabalham com as tecnologias solar, eólica, hidráulica e biomassa.

 

A meta da operadora é ter 90% do seu consumo de energia proveniente de fontes renováveis até 2025. “Estamos investindo cada vez mais em energia limpa e devemos fechar o próximo ano com 60 usinas, praticamente dobrando a quantidade que temos atualmente e gerando energia suficiente para abastecer uma cidade com 150 mil habitantes todo mês.

O setor de telecomunicações é, usualmente, um impulsionar de boas práticas ESG (ambientais, sociais e de governança) e a TIM quer liderar esse movimento no mercado”, destaca o executivo na nota. Hoje, a TIM conta com 34 usinas de energia solar, hídrica e de biogás em operação.

No processo de concorrência aberto pela operadora, a prioridade são empresas consolidadas no mercado de geração distribuída, e que já tenham projetos em tramitação nas concessionárias do setor energético. As novas unidades estarão conectadas a 18 distribuidoras.

Tópicos

Mais Recentes da CNN