Toyota e Renault se juntam ao grupo de montadoras que vai suspender produção

O retorno ao trabalho nas fábricas de São Bernardo do Campo, Sorocaba e Porto Feliz ocorrerá em 5 de abril

Do CNN Brasil Business, em São Paulo*

Ouvir notícia

Toyota e Renault informaram nesta quinta-feira (25) que vão suspender a produção de veículos no Brasil a partir da próxima segunda-feira, após medidas de isolamento social tomadas por governos municipais. Diversas montadoras já anunciaram movimento semelhante no Brasil. 

As companhias afirmaram que tomaram a decisão em conjunto com sindicatos de trabalhadores das fábricas paulistas localizadas em São Bernardo do Campo, Sorocaba, Porto Feliz e Indaiatuba, no caso da Toyota, e sindicato dos metalúrgicas de Curitiba, no caso da Renault.

“A medida tem como objetivo contribuir com a redução de circulação de pessoas no momento mais crítico da pandemia no país, além de atender a antecipação de feriados por parte de autoridades em algumas dessas regiões”, afirmou Toyota a companhia em comunicado.

O retorno ao trabalho nas fábricas de São Bernardo do Campo, Sorocaba e Porto Feliz (Toyota) e São José dos Pinhais (Renault) ocorrerá em 5 de abril e em Indaiatuba (Toyota) no dia seguinte.

Toyota Hilux
Toyota Hilux
Foto: Divulgação

A Toyota tem 5.600 funcionários no Brasil. A Renault vai dispensar 4.500 funcionários nesse período e manter apenas atividades essenciais. 

Movimento do setor automotivo

Outras empresas do setor automotivo decidiram adotar medidas na tentativa de conter o avanço da pandemia.

A Volkswagen foi a primeira montadora a anunciar a interrupção das atividades no Brasil. A paralisação entra em vigor nesta quarta-feira e vai impactar todas as suas unidades no país. A expectativa é que os funcionários voltem às fábricas em 5 de abril.

A Nissan decidiu adotar férias coletivas em seu complexo industrial de Resende, no Rio de Janeiro, entre os dias 26 de março e 9 de abril, por causa da pandemia do coronavírus.

Já a Volvo paralisou a maior parte da produção de caminhões na fábrica de Curitiba em razão da falta de peças, principalmente componentes eletrônicos, junto com o agravamento da pandemia no país. A medida atinge aproximadamente 2 mil funcionários do total de 3,7 mil que trabalham na fábrica da Volvo na capital paranaense e vai durar até o fim deste mês.

A Scania vai paralisar a produção a partir de sexta-feira (26) até 5 de abril. A medida deve atingir a maioria dos 4 mil funcionários da montadora.

A Mercedes-Benz anunciou que as atividades produtivas das fábricas de veículos comerciais em São Bernardo do Campo (SP) e em Juiz de Fora (MG) serão interrompiadas na sexta-feira (26) com retorno previsto para 5 de abril. Caso as medidas restritivas continuem, a Mercedes vai conceder férias coletivas “para grupos alternados de funcionários produtivos de acordo com o planejamento de nossas fábricas”.

*Com Reuters

Tópicos

Mais Recentes da CNN