Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Veja cinco carros que estão isentos do novo rodízio em São Paulo

    Com mudanças nas restrições de circulação por conta da pandemia, determinados veículos fogem à regra

    Movimentação de carros e pedestres na avenida Paulista, em São Paulo
    Movimentação de carros e pedestres na avenida Paulista, em São Paulo Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

    Thiago Moreno, colaboração para o CNN Brasil Business

    Ouvir notícia

    O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), anunciou mudanças no rodízio de veículos na cidade. As restrições na circulação dos automóveis na cidade terão novo horário a partir desta segunda-feira (22). Segundo Covas, a intenção é evitar a circulação de pessoas nos períodos noturnos.

    Dependendo da placa e do dia da semana, os veículos não poderão circular entre 20h e 5h do dia seguinte. A restrição permanece válida para a região do centro expandido da cidade. Com os novos horários, os antigos, das 7h às 10h e das 17h às 20h, estão liberados. Da mesma forma, veículos como motos, táxis, de serviço e aqueles utilizados para o transporte de pessoas com deficiência ficam de fora do rodízio. 

    Veja como fica o novo rodízio em São Paulo (SP)

    • Segunda-feira: Placas final 1 e 2 – das 20h de segunda-feira às 5h de terça-feira
    • Terça-feira: Placas final 3 e 4 – das 20h de terça-feira às 5h de quarta-feira
    • Quarta-feira: Placas final 5 e 6 – das 20h de quarta-feira às 5h de quinta-feira
    • Quinta-feira: Placas final 7 e 8 – das 20h de quinta-feira às 5h de sexta-feira
    • Sexta-feira: Placas final 9 e 0 – das 20h de sexta-feira às 5h de sábado

    No entanto, alguns carros de passeio permanecem isentos. É o caso dos modelos de propulsão híbrida ou elétrica que a prefeitura deixa de fora das restrições. Selecionamos aqui cinco modelos que estão aptos à isenção do rodízio na capital paulista, podendo rodar em qualquer horário sem medo de levar multas.

    Carros para fugir do rodízio

     

    Mais Recentes da CNN