Veja os principais destaques previstos para o novo plano Pró-Brasil

Indefinições sobre a abrangência e o valor do Renda Brasil e dúvidas sobre a reforma administrativa acabaram postergando a divulgação geral do plano

Raquel Landimda CNN

Ouvir notícia

O anúncio foi adiado, mas técnicos do governo federal continuam trabalhando no novo plano Pró-Brasil, que se tornou um guarda-chuva de todas as iniciativas para a retomada da economia brasileira após o choque provocado pela pandemia do coronavírus.

Segundo fontes do governo federal, indefinições sobre a abrangência e o valor do Renda Brasil (programa que vai substituir o Bolsa Família) e dúvidas sobre a reforma administrativa acabaram postergando a divulgação geral do plano, prevista para amanhã.

Leia também:

Governo adia anúncio de pacote econômico para articular medidas com Congresso

Pró-Brasil não será focado apenas em investimento público, diz Tarcísio Freitas

Nesta terça-feira, deve ocorrer apenas o lançamento do Casa Verde Amarela, que fica no lugar do Minha Casa, Minha Vida. O lançamento total do Pró-Brasil pode ocorrer apenas na próxima semana.

Os dois eixos do plano  para a retomada da economia – chamados de Ordem e Progresso – preveem iniciativas tão distintas quanto a lei do gás, a autonomia do Banco Central ou privatizações de empresas estatais.

Veja abaixo os projetos prioritários do Pró-Brasil reunidos pela CNN em conversas com interlocutores no governo:

Eixo Ordem
Infraestrutura: Casa Verde e Amarela e modernização do setor elétrico
Inclusão social: Renda Brasil
Transformação do Estado: PEC do pacto federativo e reforma administrativa
Sustentabilidade ambiental: Novo marco legal do licenciamento
Ambiente de Negócios: acessão do Brasil à OCDE, autonomia do Banco Central e nova lei do gás

Eixo Progresso
Privatizações: Porto de Santos, Eletrobrás, Telebrás, Correios, entre outras
Concessões: Mais de 20 aeroportos, incluindo Viracopos
Obras públicas: projetos próximos de ser concluídos sem suplementação orçamentária, apenas com remanejamento de recursos para não descumprir o teto de gastos.

 

Mais Recentes da CNN