Venda de pacotes turísticos em setembro supera índices anteriores à pandemia

Especialistas afirmam que o fenômeno pode ser explicado pelo represamento da demanda durante a pandemia

País autorizou voos com origem do Brasil e Reino Unido, mas turismo segue proibido
País autorizou voos com origem do Brasil e Reino Unido, mas turismo segue proibido Foto: Leonardo Miranda/Unsplash

Lucas JanoneHelena Vieirada CNN

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Um levantamento feito pela CNN, com base em três das maiores agências de viagens brasileiras, mostra que a venda de pacotes turísticos para dentro do Brasil em setembro deste ano já supera o número comercializado no mesmo período de 2019, antes do início da pandemia de Covid-19.

Especialistas dizem que o fenômeno pode ser explicado pelo represamento da demanda durante a pandemia.

A empresa de turismo CVC confirmou que a tendência já é registrada para voos domésticos há pelo menos quatro meses. Já para os destinos no exterior, a agência esclarece que os números tiveram expressivo crescimento apenas nas últimas semanas, após o anúncio da abertura da fronteira dos Estados Unidos, Portugal e Argentina.

A agência Kayak também confirmou à CNN o aumento na procura. Os dados divulgados pela empresa mostram que a venda de pacotes turísticos em setembro já é 50% maior em comparação ao mesmo mês de 2019. Em contrapartida, a procura por destinos internacionais ainda é 25% inferior em relação ao mesmo período.

A Decolar também divulgou, na quinta-feira (23), números que mostram a retomada do setor em setembro. Dados oficiais da companhia mostram que houve um aumento de cerca de 45% na demanda por pacotes turísticos nas últimas semanas. O Rio de Janeiro, São Paulo e Porto de Galinhas foram as cidades mais procuradas pelos viajantes.

“É possível perceber que a recuperação do setor já está acontecendo de forma responsável e gradual, e não necessariamente em linha reta, podendo haver altos e baixos. Com o aumento da vacinação e a antecipação da imunização de várias faixas etárias, os consumidores vão se sentindo mais confiantes com o cenário e já começam a planejar suas viagens”, aponta a Decolar.

Represamento

O economista e professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV) Renan Pieri diz que o ‘boom’ nas vendas de pacotes turísticos pode ser explicado pelo represamento da demanda durante a pandemia. Ele ainda explicou o motivo pela maior procura pelos destinos nacionais, em detrimento dos voos para o exterior.

“A demanda por pacotes turísticos foi reprimida por conta da pandemia. Muitos brasileiros postergaram as viagens durante esses quase dois anos, e agora que as medidas foram flexibilizadas, é natural observar esse aumento. Precisamos lembrar também que a desvalorização cambial e a dificuldade em viajar para outros países pode ter aumentado ainda mais a procura por viagens domésticas”, disse Pieri.

Para o presidente da Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa), Roberto Haro Nedelciu, a vacinação contra a Covid-19 e a reabertura das fronteiras dos outros países são os principais motivos para a recuperação do setor.

“A recuperação do turismo é uma realidade que temos acompanhado mês a mês. E essa evolução nas vendas tem motivos: os avanços na vacinação têm contribuído para o aumento da sensação de segurança das pessoas, que estão com muita vontade de viajar e colocar em prática seus planos e sonhos de viagem além, é claro, da constante movimentação de abertura de fronteiras e países aceitando brasileiros, que trazem um cenário animador para o setor”, disse.

Pelo menos 40 países estão abertos ou já anunciaram a reabertura para viajantes brasileiros ao longo dos próximos meses. Entre eles estão Estados Unidos, Portugal e Argentina, alguns dos destinos mais procurados pelos brasileiros. O país norte-americano, por exemplo, anunciou na segunda-feira (20) que residentes no Brasil vão poder entrar nos EUA a partir de novembro, desde que completamente vacinados.

Mais Recentes da CNN