Vendas de diesel por distribuidoras caíram 2,5% em fevereiro, afirma ANP

As vendas de gasolina, por sua vez, caíram 10,3% no segundo mês deste ano ante o mesmo período do ano passado, para 2,8 bilhões de litros

Funcionário de posto de gasolina abastece carro em São Paulo
Funcionário de posto de gasolina abastece carro em São Paulo Foto: Paulo Whitaker/Reuters

Por Marta Nogueira, da Reuters

Ouvir notícia

As vendas de diesel e gasolina por distribuidoras no Brasil recuaram em fevereiro ante o mesmo período de 2020, revertendo uma recuperação observada no primeiro mês do ano, apontaram dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) nesta quarta-feira.

As vendas de diesel, principal combustível comercializado no país, caíram 2,5% em fevereiro ante o mesmo mês do ano passado, para 4,4 bilhões de litros. Em janeiro, as distribuidoras haviam registrado um aumento de 0,9% nas vendas do combustível na comparação anual.

As vendas de gasolina, por sua vez, caíram 10,3% no segundo mês deste ano ante o mesmo período do ano passado, para 2,8 bilhões de litros. Em janeiro, as vendas de gasolina haviam registrado leve aumento de 0,2% na comparação anual.

Já o etanol hidratado, concorrente da gasolina nas bombas, registrou queda de 6,8% nas vendas em fevereiro, na mesma comparação. Em janeiro, as vendas do biocombustível haviam recuado 10%.

As vendas de todos os combustíveis no Brasil em fevereiro caíram 6,8%, para 10,33 bilhões de litros.

No primeiro bimestre do ano passado, o setor de combustíveis no Brasil ainda não sofria com os efeitos da pandemia do novo coronavírus.

No mês passado, a Petrobras chegou a informar que as vendas de diesel e gasolina nas refinarias em janeiro haviam superado os níveis pré-pandemia.

Em contrapartida, o refino de petróleo no Brasil cresceu 4% em fevereiro ante o mesmo mês do ano passado, para 53,2 milhões de barris. Em janeiro, o refino havia caído 2,6%, para 54,93 milhões de barris.

A Petrobras detém atualmente quase 100% da capacidade de refino do Brasil.

Mais Recentes da CNN