Vendas de moradias na China sofrem queda anual de 32,2% no 1º quadrimestre

Resultado mostrou piora em relação ao declínio de 25,6% observado no primeiro trimestre

Apartamentos em construção em Shenzhen, China
Apartamentos em construção em Shenzhen, China 07/11/2021. REUTERS/David Kirton

do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

As vendas de moradias na China sofreram queda anual de 32,2% no primeiro quadrimestre de 2022, refletindo os impactos da atual onda de Covid-19, segundo dados do Escritório Nacional de Estatísticas (NBS, na sigla em inglês) do país.

O resultado mostrou piora em relação ao declínio de 25,6% observado no primeiro trimestre.

As construções iniciadas — considerando-se tanto residências quanto propriedades comerciais — recuaram 26,3% no primeiro quadrimestre ante igual período do ano passado.

No primeiro trimestre, a redução havia sido menor, de 17,5%.

Já os investimentos no desenvolvimento de projetos imobiliários tiveram queda anual de 2,7% no terceiro trimestre, revertendo aumento de 0,7% visto no primeiro trimestre.

Em meio às dificuldades do setor imobiliário, o banco central chinês (PBoC) decidiu reduzir o limite mínimo de taxas de hipoteca para compradores do primeiro imóvel em até 20 pontos-base.

Mais Recentes da CNN