WhatsApp lança opção de carrinho de compras e catálogo para lojas no chat

Segundo o presidente da Mastercard no Brasil, João Pedro Paro, a implementação da funcionalidade do WhatsApp deve ficar para o ano que vem

Foto: Rupak De Chowdhuri/Reuters

Raphael Coraccini, colaboração para o CNN Brasil Business*

Ouvir notícia

O WhatsApp agora tem catálogo de lojas e um carrinho de compras para que os clientes possam escolher o que querem comprar das empresas diretamente do aplicativo de mensagens.

O app passa a disponibilizar a partir desta terça-feira (8) um catálogo de produtos em sua tela de mensagens para que os consumidores escolham, coloquem no carrinho e comprem na hora. A solução está acessível apenas para algumas empresas.

Leia também:
BMW desenvolve centro de dados em nuvem em parceria com Amazon
Apple anuncia AirPods Max por US$ 549

É um lançamento global, para todas as contas Business que possuem um catálogo, que receberam a atualização automaticamente em suas contas.

Para acessar o catálogo e o carrinho de compras, os clientes precisam acessar o número de telefone da loja no app. 

Checkout 

A conclusão da compra não é feita diretamente dentro da plataforma de mensagens porque o Banco Central pediu mais informações sobre o meio de pagamento do WhatsApp, antes de permitir o lançamento. O WhatsApp Pay chegou a ser anunciado no meio deste ano.

Segundo o presidente da Mastercard no Brasil, João Pedro Paro, a implementação da funcionalidade do WhatsApp deve ficar para o ano que vem, dado que 2020 já está no fim. A liderança do WhatsApp tem mantido conversas com a cúpula do BC para restaurar a funcionalidade de pagamentos no WhatsApp.

Enquanto o WhatsApp não lança sua opção de pagamento, o cliente deve combinar como vai pagar via mensagem, depois de selecionar os itens e adicioná-los à lista de compra pela opção “adicionar carrinho”. Entre as opções estão transferência, link de cobrança ou mesmo por PIX.

*Com Natália Flach

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

Tópicos

Mais Recentes da CNN